Login com o Facebook

Home > Anime > Especial: Temporada de Verão 2016

Especial: Temporada de Verão 2016

Fonte: Animecote em 16/06/2016
  • Seguir
  • Facebook
  • Twitter
  • E-mail
  • Compartilhar pelo WhatsApp

Em 17 de dezembro de 2012, há três anos e meio, eu postava o primeiro guia do Animecote comentando 35 estreias da temporada de inverno que estava pra chegar - haviam até curtas anotações do webmaster Bebop em alguns animes, tendo sido essa a primeira e única participação dele nas postagens. Desde então, não contando esse, foram feitos outros 13 guias com no total 715 animes comentados, e uma tendência bem visível ao longo do tempo foi o incremento dos textos, cada vez maiores e com mais links à disposição até chegarem ao formato que veem hoje, tremendos wall of text compostos por spoils em níveis variados, informações úteis e inúteis, opiniões imparciais ou nem tanto ou nada disso, piadinhas, ironias e... Um blogueiro já de 27 anos que tem aos poucos ficado mais ranzinza (fresco?) em seus comentários, porque ao passo que meus cabelos vão rareando (que tristeza!), meu sonho de comprar uma casa própria vai se aproximando (ótimo!) e meus dois quartos na casa onde moro com meu pai vão ficando cada vez com menos espaço para tantas miniaturas de carrinhos e caminhões que eu compro (não são brinquedos!), os animes, por outro lado, permanecem sentados em cima dos mesmos vícios, argumentos, temas e falhas, seja lá em 2013 ou agora - e isso cansa bastante para quem tem de pesquisar estreia por estreia toda temporada, inclusive lendo o material original quando disponível.

Claro que sempre haverão boas e criativas novidades, porém elas são uma porcentagem pequena perto de obras preguiçosas cheias de rapazes bishounen fazendo pose, garoto que apalpa tudo que é parte do corpo das integrantes de seu harém (ou fica chupando dedo por ser um banana, mas elas ainda assim se exibem o máximo que podem), meninas moe fazendo de tudo, adolescentes dotados de habilidades especiais... Enfim. Já digo nesse momento que, se um dia eu parar com esses guias, será por dois motivos simples: o longo tempo gasto na sua montagem e, principalmente, meu esgotamento com essa reciclagem absurda de ideias. Quer discutir comigo? Ah, é só vir dizer que a última adaptação de "battle school" sci-fi e ecchi da temporada vindo de light novel é boa e "diferente" das outras! Serei tão grosseiro e boca suja quanto os caras desse comercial da Tigre!

*****


Okay, terminando o desabafo e aproveitando a deixa, temporadas de verão tem realmente se tornado, desde 2014, na época preferida dos produtores para encher a grade televisiva com temas voltados às mulheres. Grupos de idols masculinos? Virou clássico, não pode faltar, seja um anime onde três grupos são supervisionados por uma só garota ou então, outro no qual dois grupos também de idols... São a personificação dos doze meses do ano, indo desde um janeiro carismático e confiável a um dezembro loirinho e alegre. Haverão bons partidos também numa trama focada em times de líderes de torcida masculinos, além da volta de um vergonhoso quinteto de rapazes que usarão braceletes mágicos do amor para lutar em prol do amor e assim proteger a Terra, e por fim veremos o spin-off da agitada vida estudantil de certo futuro calígrafo anos antes de ele conhecer uma garotinha sapeca. Já àquelas com gostos ainda mais exóticos resta um elenco inteiro de vampiros um tanto incomum, e caso alguém queira correr riscos pode se aventurar com um bishounen maravilhoso, esbelto... Que na realidade é um garoto da 5ª série. Vê lá o que vai fazer, hein!

Para os homens também teremos garotas idols, representadas por um grupo que dará sequência a uma famosa franquia. O moe ainda dará as caras na continuação de um "mahou shoujo" que já está fazendo hora extra com sua quarta temporada, na bem humorada rotina de trabalho de uma jovem baixinha e suas colegas em uma pequena empresa de jogos, nas deliciosas sessões de culinária entre pai, sua filha e uma estudante solitária, na produção original que mesclará mechas com elenco quase todo feminino, e em mais meninas mágicas numa animação "ao vivo" produzida com tecnologia recém criada - e pra variar, quem preferir algo "adulto" e picante terá à disposição o "árduo" dia a dia de um jovem que, para repor a energia das reveladoras armaduras usadas por belas adolescentes no combate a uns troços de nome qualquer que invadiram a Terra, precisará praticar atos "libidinosos" com essas mesmas garotas frequentemente.

Sim, eu sei que deveria citar ainda um tal garoto com poderes psíquicos que inclusive tornou-se capa do post, o retorno tanto de batalhas culinárias (literalmente) orgasmáticas, quanto da saga de um grupo de exorcistas, e o romance água com açúcar envolvendo cartas vindas do futuro que servirão para evitar uma tragédia - sem contar as menções aos temas mais bizarros da vez, como o anime do gato-banana dublado por Yuki Kaji, o do gás flatulento humanoide (como é?) e até o do estudante "fudanshi" hétero que adora ler histórias retratando relações homossexuais (que foi, vai dizer que nunca assistiu Brokeback Mountain?). Eu sei sim que poderia ter guardado um espaço melhor pra eles, mas compreendam, são 4 e meia da manhã neste instante enquanto faço o texto de introdução antes de publicar o guia, e olha já o tamanho dele! Fechemos por aqui, tenham uma boa leitura e acompanhem as atualizações, pois ainda há muitos animes a serem adicionados!


*****


São por enquanto 34 estreias, porém esse número aumentará, no mínimo, para 49. A razão disso é que há mais 15 animações já confirmadas que preferi ir adicionando aos poucos nos próximos dias, para que o post não atrasasse. Segue abaixo a relação dos títulos faltantes:




Como de praxe, disponibilizarei logo adiante outra fonte (mas não a de sempre) para divulgação das estreias de OVAs, Movies, Specials e OADs que virão nos próximos meses. Já para séries de TV e ONAs, continuarei com comentários pessoais meus em boa parte dos animes, principalmente naqueles cuja obra original eu pude conhecer um pouco - nessa temporada deverei chegar a 18 títulos lidos considerando os que ainda adicionarei, número bem maior em comparação com as temporadas passadas.  Certamente um anime que estou aguardando muito agora poderá ser uma droga, ou um que só menosprezei poderá se mostrar muito bom (e às vezes eu também acerto, vai!); mas enfim, são apenas especulações, de acordo com a visão que tive do material original ou da equipe envolvida na produção.


*****


Como esse post está sendo feito com certa antecedência, muitos dados novos surgirão ou terão de ser corrigidos; desse modo, manterei logo a frente uma relação das atualizações realizadas aqui. A propósito, todos os animes possuem em seu título um link que o leva às suas respectivas páginas no MyAnimeList.


Concluindo, as datas de estreia se referem ao dia exato da primeira exibição do anime (excluindo pré-estreias), não importando o horário. Ex: em alguns sites colocam que anime X estreará dia 6 de julho, sendo que sua estreia será à 1:00 da manhã já do dia 7; mas aqui a data estará como dia 7 de julho mesmo.



PS: Comentários são bem-vindos; ou, para ser exato, eu quero que comentem! Claro, só estou sendo um pouco exagerado, mas feedbacks para algo que levou semanas para ser montado (e que nem chegou ao fim ainda) é, assim, um ótimo "pagamento", que me motiva a continuar com essa postagem em temporadas futuras. Não se preocupe com o tamanho ou conteúdo do comentário, somente deixar seu suporte, crítica ou sugestão já me será o suficiente.

PS (2): Dê o seu voto: No final do post há uma enquete perguntando quais animes você pretende ver nessa temporada, apenas para ver qual é a predileção do público do Animecote. O resultado será divulgado no início de abril. 



PS (3): PARTICIPE DO SORTEIO DE TRÊS JOGOS NO ANIMECOTE! Para isso basta curtir nossa página no Facebook e possuir uma conta na plataforma Steam. Veja clicando aqui o post do sorteio com mais detalhes sobre como participar. As inscrições ficarão abertas até o dia 30 de junho!



PS (4): Por fim, quem tiver interesse dê uma olhada no mais novo post da seção X-10 cujo tema é "Dez animes hentai - Versão 2.0", onde cito e recomendo novamente dez animações pornôs com os mais variados temas e fetiches, sejam eles protagonizados por guerreiros cafajestes, rapaz sortudo que forma seu próprio harém no local de trabalho, diversas lésbicas numa escola só para garotas ou jovem de poucas palavras que se mostra extremamente obcecada por brinquedinhos sexuais!



*****


Às vezes precisamos mudar algum hábito, dar adeus para aquilo que nos acompanhou durante tanto tempo... E nesse caso, após 3 anos e meio, ou 14 guias, eu deixarei de indicar a tabela do Neregate para quem quiser visualizar de forma mais sucinta as estreias da temporada, bem como estar ciente das novidades em relação a OVAs, Movies, Specials e OADs. Em seu lugar apresento o igualmente completo, mas interativo Anichart, um famoso site que disponibiliza de forma mais agradável, personalizável e constantemente atualizada as informações das estreias não apenas das séries de TV, mas também dos outros formatos aqui citados. Ah, Neregate, eu ainda o visitarei pelas imagens postadas diariamente, prometo!


**********

Atualizações:

16/06: Revisão de todos os textos e links em andamento.




**********

91 Days
Formato: TV 
Data de estreia: 09/07
Estúdio: Shuka
Diretor: Hiro Kaburaki ("Hoozuki no Reitetsu", "Kimi ni Todoke 2nd Season", "Tonari no Kaibutsu-kun")
Gênero: Drama
Tema: Histórico
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui, aquiaqui e aqui

Animação original a ser produzida pelo novato estúdio Shuka (as três temporadas de "Durarara!!x2"), "91 Days" traz como plano de fundo o ano de 1920 em Lawless, um distrito de Chicago onde a máfia é dominante e lucra vendendo bebidas ilegalmente. O protagonista Avilio morava neste lugar, contudo ele teve de se esconder após seus pais e irmão serem mortos pelos mafiosos da família Vanetti; agora, passados sete anos, uma carta misteriosa acende sua vontade de vingança e o faz voltar para Lawless, onde tentará se infiltrar na família Vanetti a fim de chegar perto de seus líderes.

É com esse cenário retratando a época da Lei seca nos Estados Unidos (bem que poderiam ter criado um nome melhor para o distrito, pois batizar de "Lawless" um dito lugar sem lei é muita preguiça!) que "91 Days" contará uma história da qual, sinceramente, em um primeiro momento até me interessou por conta do tema e o elenco formado só por adultos, porém os trailers e o possível comportamento dos personagens já me causaram desconfiança quanto ao estilo afetado que essa animação possa apresentar para algo que, supostamente, teria de ser mais sóbrio. Além de Avilio, que na realidade se chama Angelo Lakuza (seu nome e os dos demais ainda não possuem versões oficiais em alfabeto latino, então podem haver mudanças com o que veremos no anime em si), o site do anime lista outros oito personagens, dentre eles Colteo, amigo de infância do protagonista que odeia a máfia e se sustenta vendendo licor às escondidas; Vincent, opressor chefe da família Vanetti que é o principal alvo da vingança de Avilio; Nero, filho de Vincent que tem uma personalidade mais descontraída e é outro a ser mirado pelo rapaz; Flatte, irmão mais novo da família; o esquentadinho Vanno e o pacífico Valbero, subordinados de Nero; o excêntrico Fango, líder da família Orco, rival dos Vanetti; e Ronaldo, mafioso que se casa com a irmã mais nova de Nero (ainda não revelada) e que é sobrinho do líder da família Graccia, que controla toda a Chicago. Há por fim essa e essa arte oficial que colocam Avilio e Nero se encarando e que sugerem, pra mim, como a animação deverá ser mais focada na ação mesmo - o que não acharia ruim, minha implicância por ora é somente com a suposta caracterização do elenco, e de qualquer forma esta parece ser a primeira ou segunda série original mais promissora dessa temporada no meio de duvidosos animes sobre gatos-bananas, jovens com poderes especiais, gás flatulento humanoide e por aí vai.

Tendo o bom Hiro Kaburaki na direção, "91 Days" virá também com Taku Kishimoto ("Usagi Drop", "Joker Game", "Haikyuu!!", "Boku dake ga Inai Machi") na supervisão de roteiros, Shougo Kaida ("Special A") na trilha sonora e Tomohiro Kishi ("Tonari no Kaibutsu-kun") no "character design".


**********

Active Raid: Kidou Kyoushuushitsu Dai Hachi Gakari 2nd Season
Formato: TV
Data de estreia: 12/07
Estúdio: Production IMS
Diretor: Goro Taniguchi (Code Geass: Hangyaku no Lelouch", Gun x Sword", "Infinite Ryvius", "Junketsu no Maria", "Planetes")
Gênero: Ação / Sci-fi
Tema: Policial
De onde saiu: Continuação do anime de 2016, uma obra original.
Site oficial: Clique aqui

Segunda temporada de "Active Raid: Kidou Kyoushuushitsu Dai Hachi Gakari", anime policial sci-fi bem descontraído que foi exibido na temporada de inverno desse ano. Dirigido por Goro Taniguchi e animado pelo estúdio Production IMS ("Haifuri", "Hundred"), tal produção original já estava prevista para ter duas temporadas desde o começo, procedimento esse hoje bastante conhecido como "split cour" - por conta disso, o restante da equipe segue a mesma, com Noriaki Akitaya ("Joukamachi no Dandelion") de diretor assistente, Naruhisa Arakawa ("Kingdom", "Outbreak Company") na supervisão de roteiros, Kotaro Nakagawa ("Code Geass", "Prison School", "Gosick") na trilha sonora e Asako Nishida ("Denpa Onna to Seishun Otoko", "Love Live! School Idol Project") na adaptação do "character design" originalmente criado por Shun Saeki, o desenhista por trás do mangá de "Shokugeki no Souma" e também autor de várias obras hentai.


**********

Amaama to Inazuma
Formato: TV 
Data de estreia: 05/07
Estúdio: TMS Entertainment 
Diretor: Tarou Iwasaki ("Isshuukan Friends.", "Mikagura Gakuen Kumikyoku")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Culinária
De onde saiu: Mangá, 6 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Boa comida, expressões de extrema alegria na hora de prova-las e uma garotinha de apetite insaciável (menos para vegetais).

Kouhei Inuzuka é um professor que tem cuidado sozinho de sua filha Tsumugi desde o falecimento da esposa, há seis meses. Por ser péssimo na cozinha, tornou-se rotina os dois se alimentarem com refeições prontas das lojinhas de conveniência; porém, uma série de eventos faz com que certo dia ele descubra um singelo restaurante gerenciado pela mãe de Kotori, uma aluna sua. Apesar da garota não ter muita experiência no assunto e se encontrar sozinha no local já que a mãe sempre está fora fazendo outro serviço, ela insiste que Kouhei e Tsumugi experimentem uma refeição sua, dando assim início ao primeiro de muitos encontros entre os três para preparar e saborear os mais diversos pratos.

Originado de um mangá seinen publicado desde 2013 na revista "good! Afternoon" ("Ajin", "Junketsu no Maria"), "Amaama to Inazuma" será mais um anime que trará a culinária como destaque, tema esse que após o boom sofrido em 2015 - foram ao menos 6 séries de TV focadas nisso - acabou dando uma esfriada esse ano. Todavia, além das descrições detalhadas sobre como preparar vários alimentos e personagens se expressando de maneira quase celestial ao experimenta-los, ainda teremos como "extra" a fofura (pra mim um tanto excessiva e artificial, mas okay) de uma garotinha que mesmo tão jovem já conhece profundamente os prazeres obtidos através de uma boa refeição - especialmente se ela vier com muita carne!

Li dois volumes do mangá, o mínimo que tento ver caso haja traduzido, e revelo que abandonei ele (ou dei uma pausa, pra ser exato) mesmo o achando agradável porque "Amaama to Inazuma" segue uma fórmula quase imutável, da qual acabei enjoando um pouco após ler dois volumes em 3 dias: Em suma, a primeira metade de cada capítulo nos traz algum argumento ou evento que resultará na reunião dos personagens principais - seja no restaurante de Kotori ou em outro local -, enquanto que a segunda metade nos apresenta uma sessão de culinária elogiosamente esmiuçada que termina com todos se alimentando e, dependendo da situação, resolvendo algum conflito ou mal entendido qualquer que tenha surgido lá no começo - não esquecendo também que ao final dos capítulos há inclusive receitas com ilustrações bem humoradas que explicam passo a passo a montagem dos pratos que acabaram de ser degustados. Desconheço se a praticidade das mesmas é comparável ao que poderia ser visto num livro de culinária de verdade, mas que elas são visualmente mais agradáveis de se ler, ah, isso não nego...

Tendo resumido logo de cara a fórmula usada por um mangá puramente slice-of-life que não possui uma trama linear a seguir, confesso que não sobrou muito para eu dizer a seu respeito sem soar repetitivo. Incapaz até de preparar um ovo mexido, Kouhei conhece e faz amizade com uma solitária e desajeitada adolescente de apetite pra lá de saudável que come em plena sala de aula com naturalidade, mora apenas com uma mãe sempre ausente e também possui limitações na cozinha, formando dessa forma uma atrapalhada dupla amadora que avançará aos trancos e barrancos no campo da culinária - e claro, a garotinha Tsumugi será de vital importância nesse processo, seja para desenhar os menus da refeição do dia, dar apoio moral ou dicas ao seu inexperiente pai, entonar feitiços para evitar que uma massa fique ruim ou, somente, servir como degustadora dos pratos feitos por eles. Nisso, entre o preparo de um cremoso chawanmushi em um dia no qual Tsumugi está com febre, a tentativa de incluir e esconder vegetais num gratinado para que essa mesma pequena deixe de ter birra com eles, a ideia de fazer um suculento hambúrguer Salisbury a fim de anima-la após uma briga na escolinha, e a montagem de vários gyoza em companhia da intrometida Shinobu e do (só na aparência) assustador Yuusuke, respectivamente amigos de Kotori e Kouhei que se mostram muito mais íntimos com a cozinha (para decepção dos protagonistas!), é nítido que tais eventos de faca em mãos e avental sobre as roupas vão aos poucos, de um lado, melhorando a comunicação entre pai e filha, enquanto do outro se percebe uma jovem mais alegre que enxerga em Kouhei um pai que ela não teve - porém já houveram uma ou duas cenas onde nota-se que Kotori às vezes fica confusa e o vê de outra maneira, restando saber se o mangá aprofunda essa questão nos volumes seguintes. Em um todo, admito que no começo não me atraí por "Amaama to Inazuma" porque senti forçadas demais as expressões dos personagens e muito artificial o comportamento de Tsumugi, cujas ações e frases geralmente fogem bastante do que seria normal para uma criança - são ora fofas, ora engraçadinhas, mas ainda assim exageradas. Após dois volumes essa minha frescura não sumiu, contudo amenizou e pelo menos me acostumei com o estilo da obra ao me apegar melhor ao elenco, e fora esse ponto tão subjetivo e a já citada repetição no formato dos capítulos não tenho outra crítica a destacar, já que por ora não dá pra esperar mais do mangá além de um simpático slice-of-life com muita (boa) comida no meio.

A ser produzido pelo TMS Entertainment, "Amaama to Inazuma" virá com Taoru Iwasaki na direção, Mitsutaka Hirota ("X-Men", "Phantasy Star Online 2: The Animation") na supervisão de roteiros e Hiroki Harada "Romeo x Juliet", "Sasami-san@Ganbaranai") no "character design".

**********

Arslan Senki (TV): Fuujin Ranbu
Formato: TV 
Data de estreia: 03/07
Estúdio: Liden Films
Diretor: Noriyuki Abe ("Bleach", "Flame of Recca", "Gakkou no Kaidan", "Great Teacher Onizuka", "Yu Yu Hakusho")
Gênero: Ação / Aventura / Drama / Fantasia
Tema: Histórico
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá com atuais 5 volumes - que, por sua vez, é adaptação de uma novel com atuais 15 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Arslan Senki", anime de 2015 baseado em um mangá shounen publicado desde 2013 por Hiromu Arakawa (autora de "Fullmetal Alchemist" e "Gin no Saji") - há por ora 5 volumes lançados, e eles seriam na verdade uma adaptação das novels publicadas desde 1986 por Yoshiki Tanaka, profissional que alguns devem conhecer pela imensa e elogiadíssima série de OVAs "Ginga Eiyuu Densetsu", um space opera vindo também de uma novel sua que rendeu 14 volumes entre 1982 e 1989. Vale ressaltar que essa continuação já está programada para durar apenas 8 episódios, visto que após seu término será exibido, no mesmo canal e horário, os quatro episódios de "Nanatsu no Taizai: Seisen no Shirushi", anime esse que verão mais adiante no guia.

O Liden Films continua na produção, porém o Sanzigen, estúdio com quem ele já fez parceria em diversas animações e que aqui cuidava do 3DCGI, saiu do projeto e no seu lugar entrou o Felix Film, estúdio novato e de menor porte que manejou as animações em 3D do anime "Terraformars Revenge" e do 3DCG do primeiro episódio de "Phantasy Star Online 2: The Animation" - por conta disso o novo diretor de CG passará a ser Kyou Yamashita ("Tiger & Bunny"), que substituirá Daisuke Suzuki ("Last Exile", Bubuki Buranki"). De resto, Noriyuki Abe segue na direção, havendo ainda Makoto Uezu ("Akame ga KILL!", "Ansatsu Kyoushitsu 2nd Season", "Katanagatari", "School Days") na supervisão de roteiros, Taro Iwashiro ("Suisei no Gargantia", "Blade & Soul") na trilha sonora e Kazuo Watanabe com Ushio Tazawa ("Senyuu.") no "character design". Por fim, no dia 9 de maio foi lançado um OVA que traz uma história original supervisionada por Hiromu Arakawa, e está previsto para o dia 9 de dezembro um segundo OVA - que virá junto com o sexto volume do mangá - cujo teor ainda não foi divulgado.


**********

B-Project: Kodou*Ambitious
Formato: TV 
Data de estreia: 02/07
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Eiji Suganuma ("Karneval", "Kodomo no Jikan", "Sasameki Koto")
Tema: Música
De onde saiu: Animação original integrante de um projeto multimídia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Recém contratada pela grande gravadora Gandala Music para atuar na área de A&R, a protagonista Tsubsa Sumisora fica incumbida de supervisionar a unidade de idols "B-PROJECT", que é composta por três grupos: Kitakore, THRIVE e MooNs. Sendo esse seu primeiro emprego, a garota se envolverá em diversos incidentes e precisará de muito jogo de cintura para lidar diariamente com dez rapazes de diferentes personalidades.

Encabeçado pela MAGES. empresa subsidiária da 5pb. (desenvolvedora de jogos e gravadora, sendo ela a criadora da franquia de visual novels da qual "Steins;Gate" faz parte), "B-Project: Kodou*Ambitious" é um projeto que está em andamento desde o ano passado, pois todos os três grupos fictícios de idols já lançaram cada qual 1 CD próprio e outro em conjunto, havendo também uma versão em mangá que estreou dia 24 de maio e, futuramente, um jogo para uma plataforma ainda não informada. Ficarei devendo as descrições de cada bishounen cujos caprichos a tal mocinha Tsubasa alguma coisa (quem vai se lembrar dela mesmo?) terá de cuidar, mas segue a relação dos grupos: MooNs é um quinteto formado por Kazuna Masunaga, Momotaro Onzai, Hikaru Osari, Tatsuhiro Nome e Mikado Sekimura; THRIVE é um trio composto por Goushi Kaneshiro, Yuuta Ashuu e Kento Aizome; e Kitakore é uma dupla montada por Ryuuji Korekuni e Tomohisa Kitakado. Outros personagens incluem Sakurako Yashamaru, chefe de Tsubasa; Atsushi Daikoku, presidente do escritório que gerencia a carreira dos grupos Kitakore e MooNs; e Shuji Daikoku, presidente do escritório que faz o mesmo para o THRIVE. Ah, o que dizer? São rapazes lindos num anime musical, história será o de menos aqui, bastando no mínimo tornar-se um bom "comercial" bem animado para apresentar algumas músicas de cada grupo, algo que o próprio estúdio A-1 Pictures já fez decentemente - e continuará fazendo na próxima temporada - com "Uta no☆Prince-sama", por exemplo.

Trazendo Eiji Suganuma na direção, 
"B-Project: Kodou*Ambitious" terá Deko Akao ("Flying Witch", "Nazo no Kanojo X", "Noragami") na supervisão de roteiros, Masato Nakayama ("Kimi to Boku." pelo grupo Elements Garden) na trilha sonora e Toshie Kawakura ("Karneval", "Kami nomi zo Shiru Sekai: Megami-Hen") adaptando o "character design" originalmente criado por Utako Yukihiro (autora do mangá "Makai Ouji: Devils and Realist"). 


**********

Bananya
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 04/07
Estúdio: Gathering
Diretor: Kyou Yatate ("CoCO & NiCO")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

É um gato? É uma banana? Não, é o gato-banana!

Escondido dentro de uma banana e não permitindo que ninguém veja a parte de baixo de seu corpo, Babanya é um gato travesso e adorador de doces que foi idealizado por Q-Lia, empresa fabricante de artigos de papelaria que em março abriu uma campanha para arrecadar 3 milhões de ienes (R$ 98.550,00) a fim de bancar essa série de TV - ao montar guias toda temporada eu tenho notado um aumento em ações desse tipo, o que não acho ruim, mas bem que os projetos poderiam ser melhores, não? Inclusive, mais adiante verão um segundo anime que passou pelo mesmo processo com grande êxito, algo que não pode ser dito desse aqui: até 6 dias antes do término da campanha apenas 607 mil ienes (R$ 19.943,00) foram arrecadados, valor esse vindo das carteiras de poucos 64 felizardos que ganharão brindes como cartões postais, copos fofos com orelhinhas, toalhas, travesseiros de corpo inteiro (ou seja, metade gato, metade banana) e inclusão de seu nome nos créditos da animação. Alguns de vocês pensarão "Claro, quem vai querer bancar um troço desses?", porém já adianto que 187 pessoas preferiram investir no outro anime que citei cuja ideia é bem mais bizarra; continuem lendo o guia que saberão do que estou falando...

Possuindo como maior sonho se tornar uma banana de chocolate (!), nessa página do site oficial dá pra reparar que Bananya terá ainda muitos amigos felinos em igual situação - estejam eles se cobrindo com tradicionais cascas de banana amarela ou raras cascas cor de rosa, tenham origem européia ou adorem maquiagem e moda -, porém o dublador mais popular ficará pra ele mesmo, nesse caso o queridinho Yuki Kaji, que até está sendo usado como garoto propaganda do anime e dos produtos ao seu redor - como nesse anúncio em que o vemos cercado por bichinhos de pelúcia de todos os gatinhos, por exemplo. A ser produzido pelo Gathering, "Bananya" virá com episódios curtinhos como é padrão nas animações feitas por esse estúdio, e terá Kyou Yatate nas funções de diretor e roteirista, nesse último ao lado de Masahiro Takata (diretor de "Super Seisyun Brothers").

E só por curiosidade, este não será o primeiro anime baseado em um mascote da empresa Q-Lia: em 2006 houve "Pururun! Shizuku-chan", uma série em que o protagonista... Era uma gota d'água nascida de uma nuvem. Fez sucesso com o público infantil, tanto que obteve outros dois animes de mais de 50 episódios em 2007 e 2012.


**********

Battery
Formato: TV 
Data de estreia: 15/07
Estúdio: Zero-G
Diretor: Tomomi Mochizuki ("Pupa", "Saraiya Goyou", "Shinigami no Ballad", "Umi ga Kikoeru")
Gênero: Drama / Slice-of-Life
Tema: Esporte
De onde saiu: Novel, 6 volumes, finalizada.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

A ser exibido no bloco noitaminA, "Battery" tem como protagonista Takumi Harada, um adolescente que se muda de Tóquio junto com a família para uma cidade montanhosa em Okayama devido ao trabalho de seu pai. Adorador de beisebol e ótimo pitcher (arremessador), Takumi não se vê muito animado nesse momento com o próprio talento e a situação do time local de sua nova escola, contudo isso mudará ao conhecer Kou Nagakura, colega de classe que joga como catcher (receptor) e que deseja formar uma battery (combinação entre essas duas posições) com ele.

Publicada em edições de capa dura durante os anos de 1996 e 2005, a novel de "Battery" obteve 6 volumes escritos por Atsuko Asano, autora que já teve outras duas obras suas adaptadas em anime - a mais famosa delas seria "No.6", série que também foi transmitida no bloco noitaminA em 2011 e que causou muito barulho na época por conta da relação dos dois personagens masculinos principais e roteiro pra lá de bagunçado no final. Tendo já recebido versões em live-action para o cinema (2007) e TV (2008), além de uma adaptação em mangá já encerrada em 8 volumes (2005 a 2010) e outra que terá início agora em junho, eu só pude ver mesmo apenas 2 capítulos da obra original que foram traduzidos já há algum tempo e, pelo que parece, teve seu projeto abandonado. Para terem noção do pouco que eu li, esses dois capítulos muito bem escritos só mostram a chegada da família de Takumi na casa do avô dele por parte de mãe, onde passará a morar a partir de agora (a sinopse do anime cita a prefeitura de Okayama, mas nos livros o destino é a cidade de Nitta na prefeitura de Gunma, que desde 2005 foi absorvida por outra cidade); nisso, estando ele um tanto frustrado com beisebol porque se sente responsável pela derrota de seu time na antiga escola durante um torneio regional, o garoto pede ao avô, Ioka Youzou, que lhe ensine novas técnicas de beisebol, visto que este foi um bom treinador que por diversas vezes levou o time local para o torneio nacional estudantil - que ocorre no famoso estádio de Koshien, objetivo comum de todos os protagonistas e times nesse tipo de história. Num primeiro momento Takumi ouve um não, mas provavelmente sua insistência deverá fazer o avô mudar de ideia, e fora isso é retratado ainda como o irmão mais novo dele, Seiha, possui uma saúde bastante frágil, junto a breves demonstrações de algumas rusgas existentes na relação de Youzou tanto com sua filha Makiko por sempre ter dado mais atenção ao esporte do que à família, quanto com o genro Hiroshi por não ter aceitado a união dos dois no começo. Claro que estou falando de um livro, que é muito mais descritivo, de tal forma que na série de TV este trecho não deve durar meio episódio - se muito -, mas confesso ter me interessado nessa introdução para um anime que será o primeiro que verei focado em beisebol.

Produzido pelo estúdio Zero-G, que foi fundado em 2011 e que pela primeira vez comandará uma animação, "Battery" trará Tomomi Mochizuki na direção e também na supervisão de roteiros, ao lado de Akira Senju ("Fullmetal Alchemist: Brotherhood", "Kakumeiki Valvrave") na trilha sonora e Hideoki Kusama na adaptação do "character design" originalmente criado por Takako Shimura, autora dos mangás "Aoi Hana" e "Hourou Musuko".


**********

Berserk (2016)
Formato: TV 
Data de estreia: 01/07
Estúdio: GEMBA / Millepensee
Diretor: Shin Itagaki ("Ben-To", "Devil May Cry", "Teekyuu")
Gênero: Ação / Aventura / Drama / Fantasia
De onde saiu: Mangá, 38 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui (Leg. em inglês) e aqui

Possível continuação de "Berserk", anime de 1997 baseado em um famoso mangá seinen ao estilo "dark fantasy" que é publicado irregularmente desde 1989 por Kentarou MiuraNão estou dando a certeza de ser uma sequência porque, como nunca vi o anime ou o mangá para ter uma noção de seu conteúdo, me resta apenas confiar em notícias, artigos e comentários de fãs a respeito de qual será o ponto inicial do anime. Ao anunciar esse projeto em dezembro passado o autor Miura revelou que a nova série retratará o personagem principal, Guts, em sua forma de "Espadachim Negro", aparência essa que no mangá surge apenas no primeiro capítulo e, depois, em outros arcos que o anime de 1997 não adaptou. Detalhando melhor, a antiga animação também apresenta tal forma só em seu início e, brevemente, no último episódio, e no geral ela narrou parte do volume 1, o final do 3, volumes 4 a 10, e volumes 12 e 13. Ainda há uma trilogia de filmes iniciada pelo Studio 4ºC em 2012, que recontaram um arco que ocorre entre o final do volume 3 e parte do 5.

Por conta disso, a expectativa é que essa nova série de TV comece a partir do volume 14, tornando assim recomendável que se conheça um pouco do que vem antes caso queira assisti-la. Para uma obra tão cultuada eu bem que gostaria de ter lido um pouco do mangá a fim de opinar sobre sua história, visto que muitas pessoas destacam seja sua violência gráfica, o interessante e lúgubre mundo de fantasia criado com ar de Europa medieval, o sofrimento eterno do protagonista Guts e temas e reflexões mais complexos relacionados à natureza humana - porém, como o guia já estava com o cronograma muito atrasado quando decidi escrever este texto, tive que deixar a intenção de lado. Agora, tirando a dúvida quanto ao que será mostrado no anime, a maior comoção mesmo tem sido em torno de como ele mostrará o que quer que seja: A ser produzido pelo nanico estúdio Millepensee ("Teekyuu" 4 ao 7, "Usakame") em parceria com o GEMBA (responsável pelo CG em animes como "Resident Evil: Damnation" e "Macros Frontier" Sayonara no Tsubasa"), e tendo o Liden Filmes como produtor secundário ("Arslan Senki", "Terraformars"), "Berserk" virá com animação toda em CGI, algo que no máximo só tinha sido usado de forma mais modesta na trilogia de filmes. Os trailers têm feito muitos fãs chiarem sem parar, talvez com certo exagero, mas dá para entender considerando que os orçamentos baixos de animações para a TV quase sempre resultam em uma experiência visual não muito interessante nesse tipo de projeto.

Dirigido por Shin Itagaki (outro bastante contestado devido ao seu currículo não ser nada compatível com o que terá em mãos), "Berserk" virá ainda com Makoto Fukami ("Yuri Yuri SanHai!") na supervisão de roteiros, Shiro Sagisu ("Ushio to Tora", "Black Bullet", novos filmes de "Neon Genesis Evangelion") na trilha sonora e Hisashi Abe ("Chobits", Gunslinger Girl", "Wolverine") no "character design". Quanto ao mangá, após uma nova interrupção em dezembro ele está previsto para voltar a ser publicado dia 24 de junho de maneira mensal - entretanto já é sabido dos leitores que não dá pra confiar nisso, havendo a chance de ser interrompido novamente a qualquer momento. Já no Brasil ele primeiro foi lançado pela Panini a partir de 2005 no formato meio tanko,
Binan Koukou Chikyuu Bouei-bu LOVE! LOVE!
Formato: TV
Data de estreia: 08/07
Estúdio: Studio Comet
Diretor: Shinji Takamatsu ("Danshi Koukousei no Nichijou", "Gintama", "Sakamoto desu ga?", "School Rumble")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Mahou shoujo (só que com garotos ao invés de garotas!)
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, uma obra original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Binan Koukou Chikyuu Bouei-bu LOVE!", anime "mahou shounen" de 2015 protagonizado por cinco rapazes que, liderados por um vombate rosa faltante que na verdade é um alienígena, usam braceletes do amor para lutar em prol do amor e assim proteger a Terra! Tal comédia vergonhosa apresentou ao final da primeira série um inesperado "plot twist" em torno da missão dos garotos, e agora terá sua continuação nas mãos de uma equipe um pouco diferente, com destaque para a mudança de estúdio, pois o Diomedea será substituído pelo não muito conhecido Jewelpet". 

Quanto ao restante da equipe, o ótimo Shinji Takamatsu continua na direção e o trio feminino Michiko Yokote ("Genshiken", "Shirobako", "Kyoukai no Rinne") permanecerá na supervisão de roteiros, porém Yumiko Hara (Muv-Luv Alternative: Total Eclipse") surge no lugar de Masakazu Ishikawa ("Kodomo no Jikan", "Shinryaku! Ika Musume") na criação do "character design" principal - há ainda trocas em posições como chefe de animação, diretor de fotografia e etc, mas esses não vejo necessidade em ficar citando um por um.


**********

Cheer Danshi!!
Formato: TV 
Data de estreia: 05/07
Estúdio: Brain's Base
Diretor: Ai Yoshimura ("Ao Haru Ride", "Dance with Devils", "Yahari Ore no Seishun Love Come wa Machigatteiru.") 
Gênero: Esporte (?) / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Novel.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui


Fidelíssimo ao público feminino, o estúdio Brain's Base trará nessa temporada três animações voltadas para elas, e comecemos primeiro com... Rapazes formando um time de líderes de torcida em uma faculdade só para homens!

Publicada em 2013 pelo escritor Ryou Asai, infelizmente não é possível achar versões traduzidas da novel na qual essa série se baseará - no máximo, encontrei um texto em indonésio de alguém dando suas impressões gerais a respeito do que leu, e é curioso notar como as ilustrações dessa obra são de um estilo e traços bem diferentes do que veremos no anime. Nisso, juntando as breves descrições dos personagens disponíveis no site oficial, mais o que pude fisgar do texto citado usando o maravilhoso tradutor do Google, temos como premissa a história do protagonista Haruki Bandou, um jovem que praticava judô por ser algo tradicional em sua família, mas que após sofrer uma lesão foi obrigado a desistir do mesmo. Seu amigo de infância, Kazuma Hashimoto, também abandona tal esporte em solidariedade a Haruki, e por algum motivo não especificado nem no site oficial, nem na resenha de nosso amigo da Indonésia, ele convida o rapaz a participar de um clube focado na criação de um time de líderes de torcida totalmente composto por homens - óbvio, considerando que se encontram numa faculdade exclusiva ao sexo masculino (confesso que isso pra mim é novidade, pois até hoje só tinha ouvido falar da existência de várias instituições japonesas de ensino superior onde entram apenas mulheres, não o oposto).

Como é de se prever nessas tramas envolvendo a formação de um clube, ocorrem cá e lá algumas decepções para se recrutar novos membros: porém, além de Haruki e Kazuma, em breve se reúne ao grupo Wataru Mizoguchi, um aluno inteligente e ótimo cozinheiro que possui um corpo todo travado e péssimo ritmo; Kouji Toono, um jovem que pesa 100 quilos e não tem experiência alguma com esportes, mas que justamente por isso deseja mudar seu estilo de vida; Souichirou Suzuki, jogador de baseball bastante atlético (vá entender a razão disso, contudo a descrição em seu perfil considera como sua "habilidade especial" o fato de saber falar o dialeto da região de Kansai...); Gen Hasegawa, bonitão de cabelos longos amigo de Souichirou que, certamente porque isso é relevante para o tema do anime, tem destacado no próprio perfil do site oficial a façanha de conseguir realizar piruetas com enorme facilidade; e por fim Shou Tokugawa, veterano líder de torcida (desconheço se já estava no clube desde o início ou não) que se mostra rígido com os novatos e exala uma ar de elegância - palavras do site oficial de novo! -, mas que no entanto possui como defeito seu horrível senso de moda. De resto, usando como base o texto em indonésio, haverão os habituais obstáculos de um clube recém montado cujos integrantes precisarão treinar muito se quiserem executar movimentos e formações com harmonia e perfeição, conflitos de interesses, problemas pessoais de cada um interferindo na rotina do grupo, concorrência com outros times masculinos (em particular os Sparks, que teve só esse dois personagens divulgados), e... Romance? A mesma fonte cita também que isso acontece com o protagonista lá pro final da novel, entretanto desconfio se veremos algo do tipo num anime desses, tendo em vista sua aparente determinação em se fixar no público feminino - ainda que para tal seja preciso realizar grandes alterações no material de origem, que não parece carregar esse apelo. No fim, o que importa de fato é que se terá ao menos sete rapazes ostentando uma crescente e linda - para as mulheres - amizade masculina, isso enquanto eles suam a camisa e exibem seus corpos ao protagonizar uma série de movimentos em conjunto. Qualquer argumento é desculpa, todavia será muito bem-vindo caso ele seja tratado decentemente.

Possuindo uma versão mangá em andamento desde abril, "Cheer Danshi!!", trará Ai Yoshimura como diretora junto a Reiko Yoshida ("Bakuman." "K-ON!", "Yowamushi Pedal") na supervisão de roteiros e Hitomi Tsuruta ("World Trigger", "Area no Kishi") na adaptação do "character design".


**********

D.Gray-man Hallow
Formato: TV 
Data de estreia: 05/07
Estúdio: TMS Entertainment
Diretor: Yoshiharu Ashino
Gênero: Ação / Aventura / Comédia / Drama
Tema: Super poderes
De onde saiu: Continuação do anime de 2006, vindo de um mangá com atuais 24 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Segunda temporada de "D.Gray-man", anime de 2006 que em 103 episódios adaptou 16 dos 24 volumes (ou 157 capítulos pra ser exato) de um mangá shounen sobre exorcistas que já fora publicado em 3 diferentes revistas - ele primeiro passou pela "Weekly Shounen Jump" de 2004 a 2009, depois na "Jump SQ" até 2012 antes de entrar em um longo período de hiato, e atualmente se encontra na "Jump SQ.Crown", revista spin-off da mesma editora que é lançada trimestralmente. Devido ao tempo decorrido e as várias mudanças na equipe que verão logo abaixo, muitos questionaram se essa nova animação não se tratava de um remake, contudo a própria autora do mangá, Katsura Hoshino, confirmou meses atrás via Instagram que o anime terá sim início a partir do ponto deixado pelo final da série anterior (que adaptou todo o material disponível numa época onde a obra original já começava a entrar em intervalos cada vez maiores na publicação de seus volumes).

O estúdio TMS Entertaiment permanece em sua produção, mas Yoshihara Ashino substituirá Nana Harada na direção, ao passo que Michiko Yokote ("Genshiken", "Shirobako", "Kyoukai no Rinne"), Kenichi Yamashita ("Jitsu wa Watashi wa") e Tatsuto Higuchi ("Cross Ange", "Schwarzesmarken") serão os novos roteiristas e Yousuke Kabashima ("Madan no Ou no vanadis") o novo "character designer", posto antes ocupado por Hideyuki Morioka ("Maria Holic", "Sayonara Zetsubou Sensei"). Nem o elenco de dubladores saiu ileso, pois o protagonista Allen Walker terá dessa vez a voz de Ayumu Murase (Hinata em "Haikyuu!!") no lugar de Sanae KobayashiYuu Kanda será dublado por Takuya Satou - outro novato -, substituindo assim o veterano Takahiro Sakurai; Lavi perderá Kenichi Suzumura e ganhará em troca Natsuki Hanae (Inaho em "Aldnoah.Zero", Elam em "Arslan Senki"); e a heroína Lenalee Lee será vivida por Ai Kakuma (Isuzu em "Amagi Brilliant Park") ao invés da ótima Shizuka Itou, isso só citando os personagens principais, porque o mesmo ocorreu com vários secundários, quase todos para ser preciso. O único "sobrevivente" nessas mudanças todas é Kaoru Wada ("Casshern Sins", InuYasha"), que prosseguirá compondo a trilha sonora, pra mim o melhor atributo do primeiro anime que, até hoje, vi "apenas" 52 episódios - na ocasião meu computador literalmente explodiu e queimou várias peças, e como só consegui arruma-lo meses depois (não trabalhava ainda!), acabei perdendo o ânimo de voltar com essa e várias outras séries que estava acompanhando semanalmente...


**********

Danganronpa 3: The End of Kibougamine Gakuen - Mirai-hen
Formato: TV 
Data de estreia: 11/07
Estúdio: Lerche
Diretor: Seiji Kishi ("Ansatsu Kyoushitsu", "Angel Beats!", "Hamatora", "Jinrui wa Suitai Shimshita", "Seto no Hanayome")
Gênero: Ação / Suspense
Tema: Terror
De onde saiu: Jogo para diversas plataformas, continuação do anime de 2013.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Continuação de "Danganronpa: Kibou no Gakuen to Zetsubou no Koukousei The Animation", anime de 2013 que, a grosso modo, mostrou um grupo de alunos presos numa escola de elite na qual, para se graduar, eles eram obrigados a passar por um julgamento a cada assassinato de um de seus colegas a fim de descobrirem o culpado. Caso os estudantes conseguissem revelar a identidade de quem cometeu o crime, somente este seria executado pelo autoproclamado e bizarro diretor Monokuma; todavia, se falhassem em tal objetivo, o assassino sairia ileso, e todos os outros seriam mortos em seu lugar. Baseado na popular franquia de jogos "Danganronpa", que desde 2010 teve títulos lançados para diversas plataformas, o anime de 2013 adaptou normalmente a história do primeiro jogo, "Danganronpa: Trigger Happy Havoc" (ele até foi recentemente lançado no Steam), mas esse aqui, bem, podem ver pelo seu nome que ele ignorou totalmente o segundo título, ou quase isso...

Explicando, haverão duas séries de TV de "Danganronpa" a serem exibidas simultaneamente nessa temporada, sendo que ambas se complementam e possuirão tramas originais escritas pelo roteirista dos jogos, Kazutaka Kodaka - nesse guia verão o segundo anime, "Danganronpa 3: The End of Kibougamine Gakuen - Zetsubou-hen", logo depois desse, mas apenas com a grade de informações porque já estou escrevendo aqui tudo que seja necessário para ambos. Como trata-se, apesar de tudo, de uma espécie de continuação, abrirei mão em detalhar o conteúdo de cada um, porém a parte "Mirai-hen" que estreia dia 11 de julho terá esse elenco de personagens e se iniciará após os eventos apresentados no segundo jogo da franquia, "Danganronpa 2: Goodbye Despair" (também lançado há pouco tempo no Steam), podendo ser notado que alguns personagens da primeira série ressurgirão aqui. Já a parte "Zetsubou-hen" estreará dia 14 de julho com esse elenco em destaquee ela mostrará eventos anteriores aos acontecimentos do mesmo segundo jogo. Muita confusão? Para ajudar (ou confundir ainda mais!), veja esse gráfico que mostra tanto a ordem cronológica dos jogos e animes, quanto a ordem recomendável para joga-los/assisti-los. A propósito, após a boa recepção e resultados da trash série de TV de 2013 era prevista uma adaptação direta de "Danganronpa 2: Goodbye Despair", mas no fim seus produtores decidiram vir com algo original que, de todo modo, será mais fácil de se acompanhar para aqueles que conhecem a franquia toda de antemão, que ainda receberá mais dois títulos esse ano: "New Danganronpa V3: Minna no Koroshiai Shingakki" para PS4 e PS Vita, e "Cyber Danganronpa VR: Class Trial" para o futuro Playstation VR.

A equipe de produção de ambos os animes será a mesma, com o prolífero Seiji Kishi de diretor chefe, Daisei Fukuoka de diretor assistente, Masafumi Takada na trilha sonora (na verdade é reaproveitamento de suas composições para os jogos) e Kazuaki Morita ("Ansatsu Kyoshitsu", "Kamisama Dolls") com Ryoko Amisaki ("Isshoni Training") no "character design".

**********

Danganronpa 3: The End of Kibougamine Gakuen - Zetsubou-hen
Formato: TV 
Data de estreia: 14/07
Estúdio: Lerche
Diretor: Seiji Kishi ("Ansatsu Kyoushitsu", "Angel Beats!", "Hamatora", "Jinrui wa Suitai Shimshita", "Seto no Hanayome")
Gênero: Ação / Suspense
Tema: Terror
De onde saiu: Jogo para diversas plataformas, spin-off do anime anterior a ele nesse guia.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Veja os vídeos do anime anterior a ele nesse guia.

Leia o texto do anime "Danganronpa 3: The End of Kibougamine Gakuen - Mirai-hen".


**********

Fate/kaleid liner Prisma☆Illya 3rei!!
Formato: TV 
Data de estreia: 06/07
Estúdio: Silver Link
Diretor: Shin Oonuma ("Anne Happy♪", "Baka to Test to Shoukanjuu", "ef: a tale of memories", "Kokoro Connect", "WATAMOTE")
Gênero: Ação / Comédia / Fantasia
Tema: Ecchi / Mahou shoujo
De onde saiu: Mangá, 5 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Quarta temporada de "Fate/kaleid Prisma Illya", spin-off da franquia Fate/stay Night que pega uma personagem coadjuvante, Illyasviel von Einzbern, e a rejuvenesce em nove anos, a deixa mais dócil e atrapalhada e a transforma em uma "mahou shoujo", isso tudo numa historinha satírica do gênero que tem o bom humor de não se levar muito a sério. O primeiro anime, de 2013, se baseou em um mangá com somente 2 volumes publicados de 2007 a 2008, enquanto que as séries de 2014 e 2015 adaptaram o material de "Fate/kaleid Iiner PrismaIllya 2wei!!", um segundo mangá que obteve 5 volumes lançados entre 2009 e 2012. Já essa nova animação se baseará em "Fate/kaleid Line Prisma Illya 3rei!!", mangá ainda em andamento que possui 6 volumes publicados desde 2012.

Com algumas mudanças na equipe principal, Shin Oonuma permanece como diretor chefe e Masato Jinbo ("Shomin Sample") continua de diretor-assistente, porém esse último terá dessa vez Kenji Inoue (autor da light novel de "Baka to Test no Shoukanjuu") repete o papel de supervisor de roteiros, ao passo que Technoboys Pulcraft Green-Fund ("Trinity Seven", "Witch Craft Works", música de encerramento de "Osomatsu-san") estreará na franquia cuidando de sua trilha sonora, e Kazuya Hirata substituirá Nozomi Ushijima na criação do "character design".


**********

Fudanshi Koukou Seikatsu
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 05/07
Estúdio: EMT²
Diretor: Toshikatsu Tokoro ("Soul Link")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 2 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui

O dia a dia de um jovem heterossexual que curte ver rapazes se pegando.

Publicado desde abril do ano passado na Zero-Sum Online, site cujas obras são voltadas ao público feminino, "Fudanshi Koukou Seikatsu" trará de fato como protagonista o peculiar Sakaguchi, estudante do ensino médio que é um "fudanshi" - "garoto podre" em japonês (o equivalente masculino a "fujoshi"), que é um termo usado para designar homens que basicamente gostam de ver histórias retratando relações homossexuais (Boys Love, Yaoi etc). Ao lado de outros amigos e colegas, sejam eles também heterossexuais, homossexuais ou então uma providencial amiga fujoshi com quem pode discutir abertamente a respeito de seu hobby, vemos a rotina escolar não muito normal desse jovem que tem conhecimento sobre como sua obsessão pode causar aversão a muitas pessoas, porém mesmo assim faz questão de não dar a mínima para isso.

A propósito, rapazes fudanshi em geral não são realmente gays, ou no máximo se assumem como bissexuais; as obras das quais eles se interessam são primariamente direcionadas às mulheres, enquanto que gays de verdade servem de público alvo para o gênero "Bara", que é protagonizado por homens musculosos exalando testosterona. Dito isso, eu li todos os 6 curtos capítulos em estilo 4-koma do mangá que foram traduzidos até esse momento, e uma das piadinhas recorrentes nele é justamente a questão de Sakaguchi possuir interesse por algo que faz os outros duvidar de sua opção sexual - ele não cansa de explicar a razão por ser fascinado em tal gênero ainda que não seja sexualmente atraído por homens na vida real, porém não ajuda muito quando vemos, por exemplo, alguém lhe perguntar se rejeitaria uma pessoa do mesmo sexo que desse em cima dele, e esse responder de volta que se o cara tiver um ar "fofo, meigo", poderia considerar a situação... Bem, isso já seria bissexualismo, mas façamos vista grossa porque decerto nunca teremos uma resposta concreta nesse assunto. Havendo de complemento um elenco formado por, só citando alguns, desde um excêntrico, onívoro e atirado "okama" (gíria da qual podem achar diversos significados, desde gay a homem efeminado ou travesti) e seu "lacaio" que faz de tudo pra ele apesar de não ser reconhecido; uma divertida garota fujoshi chamada Rumi que terá longas, apaixonadas e incompreensíveis - para leigos no campo - discussões com Sakaguchi sobre rapazes se pegando em tudo que é mídia; e o melhor amigo do protagonista, de nome Nakamura, que é um bishounen hétero e cabeludo que aceita sem indagar muito (mas às vezes há limites, né) o estranho hobby do companheiro e admite inclusive ser constantemente assediado por outros homens (...), "Fudanshi Koukou Seikatsu" se mostrou repleto de piadinhas de cunho sexual e com duplo sentido, além de abusar de diálogos nos quais surgem termos de nicho e referências otakus aos montes. Na hipótese de isso ainda não ter ficado claro, seja devido a momentos nos quais Sakaguchi rasga seda para o asseado uniforme do funcionário de uma estação de trem, "shippa" dois garotos de longe e imagina quem seria o "uke" e o "seme" em uma suposta relação ("Eles são definitivamente gays!"), ou então flagra dois amigos seus numa cena - pra ele - sugestiva e os obriga a fazer poses, aí sim, comprometedoras enquanto tira fotos todo extasiado, sem contar também várias outras situações que seguem igual estilo tendo esse personagem ou terceiros como peça central, eis aqui um anime que exigirá tolerância e uma mente bem aberta do espectador caso ele queira dar uma olhada em seu conteúdo - mas creio que estou falando isso à toa, pois boa parte dos que não se afeiçoariam ao tema devem ter pulado o texto logo depois de lido o primeiro parágrafo...

De todo modo, é uma comédia decente? Ah, confesso que fui passando pelos capítulos indiferente, apenas vendo como algo curioso o tema tratado e as reações honestas do protagonista em um bom punhado de cenas, contudo não cheguei a achar nada do mangá que fosse exatamente engraçado - se muito o considerei bem humorado, só isso. Já divulgado que terá episódios curtos de 5 minutos cada produzidos pelo estúdio EMT² - na realidade deverão ser 3 minutos porque podem estar contando junto os comerciais, visto que todos os animes em que o 


**********

Gra-P & Rodeo 2nd Season
Formato: TV (2 min. por episódio)
Data de estreia: 01/07
Estúdio: Pie in The Sky
Gênero: Comédia
Tema: Música
De onde saiu: Continuação do anime de 2014, baseado numa dupla de J-Rock.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Gra-P & Rodeo", anime de 2014 que, em 61 episódios de 2 minutos cada, contou a história do estudante Rodeo, um grande fã da dupla de J-Rock GRANRODEO que almeja ser igual a eles - o garoto recebe a oportunidade em realizar tal sonho após a chegada de Gra-P, um monstrinho autoproclamado produtor musical vindo do futuro que promete ajuda-lo nisso. Como podem ver no link anterior tal dupla realmente existe; ela foi formada em 2005 pelo dublador Kishou Taniyama (Jean Kirstein em "Shingeki no Kyojin") e o compositor Masaaki Iizuka (Mai-HiME"), e suas participações mais recentes em animações incluem as músicas de abertura das três temporadas de "Kuroko no Basket", a de "Karneval" e uma de encerramento em "Nanatsu no Taizai".

O nanico estúdio Pie in The Sky permanece na produção, contudo não foi revelado ainda se a equipe será a mesma do anime anterior - qualquer novidade a respeito disso informarei aqui.


**********

Hatsukoi Monster
Formato: TV 
Data de estreia: 02/07
Estúdio: Studio Deen
Diretor: Takayuki Inagaki ("Desert Punk", "Rosario + Vampire")
Gênero: Comédia / Romance
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 6 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Um romance polêmico!

Muito mimada pelos pais, Nikaido Kaho é uma garota de 15 anos que sempre foi bem tratada por todos ao seu redor, isso porque ninguém queria se arriscar em contrariar sua rica e influente família. Ao entrar no ensino médio e se mudar para um dormitório escolar, logo no primeiro dia ela quase acaba sendo atropelada por um caminhão, porém é salva no último instante por um belo rapaz que, apesar do ato heroico, se recusa a dizer seu nome quando perguntado só porque a considerou uma pessoa estranha - Nikaido fica não só chocada com tal comportamento uma vez que nunca lhe responderam dessa forma, mas também admirada e interessada nele. Descobrindo logo depois que o seu salvador se chama Kanade e mora no mesmo dormitório, em um ato impulsivo a garota revela seus confusos sentimentos, mas isso a faz descobrir algo que nem os moradores do local se atreveram a lhe dizer, que é o fato de que, ao contrário de ostentar a aparência de alguém muito mais velho, Kanade é na realidade um estudante da quinta série!

Publicado na revista shoujo "Aria" desde 2013, "Hatsukoi Monster" mostra exatamente isso, a relação entre um casal formado por uma baixinha garota de 15 anos do ensino médio com um garoto da quinta série que mais parece um rapagão bishounen - não vejo esse trecho como spoil porque ele ocorre logo no início do capítulo 2 do mangá, entretanto os dois rapidamente se tornam supostos namorados após Nikaido aceitar tamanha brincadeira do destino e mesmo assim não recuar quanto a sua declaração, mas vai ser aquele tipo de namoro bem, mas beeeem apagado que fica só nas palavras, para ser franco.

Dos 6 volumes já publicados somente 1 foi traduzido, e agradeço muito por isso; sem enrolações, "Hatsukoi Monster" me trouxe uma comédia romântica extremamente corrida e estúpida, que aproveita mal vários dos lugares comuns presentes nas obras mais tradicionais do gênero para essa demografia - sem falar no próprio argumento central que chega a ser primeiro vergonhoso e questionável do que engraçado. Cumprindo o papel de heroína lerdinha, insegura, de corpo sem atrativos, péssima em ler a atmosfera ao seu redor e, principalmente, complexada porque não consegue confiar nos outros uma vez que antes todos a tratavam falsamente bem devido ao seu status social, é claro que Nikaido verá em Kanade alguém que lhe ajudará a ter uma auto estima mais alta e assim adquirir autoconfiança, visto que o mesmo não dá a mínima para a sua origem e se mostra bastante sincero nas ações e palavras, porém partir para uma confissão amorosa ainda no primeiro capítulo só porque foi salva de um acidente (de caminhão, sempre um caminhão!) e sem ao menos ter conversado direito com a pessoa é outra história, né. Como de praxe, no meio de diálogos pseudo bonitinhos, ingênuos e insossos entre os dois, um "primeiro encontro" que se resumiu a uma ida ao parque para construir túneis de areia (!) e eventuais momentos onde Nikaido percebe a loucura de estar junta de um bonitão que na verdade pensa e age como uma criança qualquer, veremos também tanto um "rival" amoroso malvado que tentará tomar a garota à força (mas apanha de um pirralho da quinta série, meu Deus!), quanto outro "rival" bondoso e frouxo que apesar de esconder o rosto com seu cabelo - que precisa ser cortado urgentemente - é na verdade um rapaz de ótima aparência (ambos são seus colegas de dormitório, a propósito), não esquecendo ainda, óbvio, aqueles que se posicionarão contra tal relacionamento inusitado, dentre os quais... Um maduro amigo de Kanade que surpreendentemente possui a aparência de um aluno da quinta série, e digo que isso é uma surpresa porque não demora para conhecermos outras duas crianças bishounen da mesma idade, sendo uma delas o típico inteligente de poucas palavras que usa óculos e o outro o mais enérgico e bobalhão do grupo. Eu adoraria que em volumes futuros fosse explicado que eles não são realmente crianças, que há qualquer motivo besta para permanecerem na 5ª série e etc, mas não parece ser o caso; "Hatsukoi Monster" de fato tenta empurrar esse argumento pra cima do leitor, e pra piorar o mescla com uma comédia quase inexistente que é sombreada por um draminha pífio com diálogos/monólogos superficiais seja na retratação dos problemas pessoais da protagonista, seja nos obstáculos que ela e seu "namorado" enfrentarão. Se muito, admito que até curti a arte do mangá, abundante em traços chibis nos trechos, julgo eu, que eram pra ser mais cômicos do que conseguem na prática, entretanto este é mero detalhe visual numa obra cuja adaptação animada já afirmo desde agora que passarei longe - e nem consigo deixar qualquer ressalva e recomenda-lo ao público feminino, pelo menos por conta do fanservice e elenco de belos rapazes (?), pois nesse caso é preferível se arriscar com outras estreias da temporada, como "Cheer Danshi!!" ou "Servamp".

A ser produzido pelo Studio Deen, "Hatsukoi Monster" terá o irregular Takayuki Inagaki na direção junto a Deko Akao ("Flying Witch", "Nazo no Kanojo X", "Noragami"), Sayuri Ooba e Takashi Aoshima ("Yuru Yuri", "Re-Kan!", "Mitsudomoe") nos roteiros, Go Sakabe ("Date A Live", "Ookami Shoujo to Kuro Ouji") na trilha sonora e Mariko Oka ("Hetalia The Beautiful World", "Jigoku Shoujo") no "character design".


**********

Love Live! Sunshine!!
Formato: TV 
Data de estreia: 02/07
Estúdio: Sunrise
Diretor: Kazuo Sakai ("Mushi-Uta")
Gênero: Slice-of-Life
Tema: Escolar / Música
De onde saiu: Spin-off de "Love Live! School Idol Project"
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Spin-off de "Love Love! School Idol Project", anime de 2013 que é integrante de um projeto multimídia iniciado em 2010 pelo estúdio Sunrise, a gravadora Lantis e a revista Dengeki G's Magazine - na área da animação houveram duas séries de TV e um filme muito bem sucedidos, e junto a isso ainda foram lançados singles, CDs, jogos, versões da história em mangá e light novel e diversos outros produtos que ajudaram bastante na carreira das dubladoras, a maioria novatas na época, das nove protagonistas desse anime que formam um grupo de idols chamado "μ's" (leia-se "muse") para salvar a escola onde estudam de ser fechada por falta de alunos. Aliás, em 2 de março foi posto à venda o suposto último single delas, que antecedeu também os últimos concertos realizados pelas próprias dubladoras nos dias 31 de março e 1º de abril, porém até agora não foi explicado oficialmente se o grupo será realmente desfeito.

Por outro lado, "Love Live! Sunshine!!" chega com mais nove protagonistas bonitinhas e o mesmo argumento: a criação de um grupo de idols que de início tem o intuito de evitar o fechamento de outra escola, nesse caso a instituição particular para garotas de nome "Uranohoshi Girls' High School" localizada em Numazu, cidade litorânea da província de Shizuoka. A líder nisso, Chika Takami, se inspira justamente no "μ's", grupo do qual tanto adora, para criar o Aqours" - pronuncia-se "Aqua", nome escolhido por meio de votos através da revista Dengeki G's Magazine em junho do ano passado, o mesmo método que havia sido praticado no primeiro grupo para decidir praticamente tudo relacionado as personagens, como personalidade, aparência e importância na história (porém não consegui descobrir se dessa vez houve de fato apenas uma enquete ou, se outros elementos do projeto também foram escolhidos dessa maneira). Não acho necessário detalhar nesse texto cada uma das novas personagens, logo me limito a citar este link caso queiram ler pequenas descrições delas no Anime News Network, ou então acesse o site oficial acima que lá tem vídeos individuais de todas.

E mesmo que o anime esteja vindo só agora, já foram lançados dois singles do "Aqours", um no dia 7 de outubro passado e outro em 27 de abril - clique aqui para ver o clipe animado do primeiro, "Kimi no Kokoro wa Kagayaiteru kai?". A ser produzido pelo estúdio Sunrise, "Love Live! Sunshine!!" terá Kazuo Sakai na direção ao lado de Jukki Hanada ("Kantai Collection", "Hibike! Euphonium", "Love Live! School Idol Project") na supervisão de roteiros, Tatusya Katou ("Free!", "Gingitsune", "Mirai Nikki", "Luck & Logic") na trilha sonora e Yuuhei Murota ("Love Live! School Idol Project") no "character design".


**********

Mahou Shoujo? Naria☆Girls
Formato: TV 
Data de estreia: 07/07
Estúdio: Bouncy
Diretor: Koutarou Ishidate ("Minarai Diva", "Tesagure! Bukatsumono")
Gênero: Comédia
Tema: Mahou shoujo
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

Quem sabe faz ao vivo! (perdão, não pude evitar)

Fundado em outubro do ano passado, o novato estúdio Bouncy marcará sua estreia com um à primeira vista clássico "mahou shoujo", entretanto a historinha do anime e seu processo de produção não serão tão habituais assim. Nele, as protagonistas Urara, Hanabi e Inaho pretendem se tornar personagens reconhecidas nacionalmente criando elas mesmas sua própria animação, e escolhem esse tema por ser algo mais fácil de atrair tanto crianças, quanto adultos que deveriam tomar vergonha na cara e parar de assistir essas coisas (ó quem fala!). Igual ao que a sinopse oficial pergunta em seu final, será que essas garotas conseguirão ficar populares em um anime "mahou shoujo" de somente uma temporada?

Bem, não seria impossível, ainda que já tenham passado alguns anos desde o último caso de sucesso, mas por ora podemos dizer que esses dois possuem ao menos um ponto em comum, que é o fato de trazerem um estilo de animação que foge do convencional, cada um à sua maneira. Digo isso pois "Mahou Shoujo? Naria☆Girls" será uma série de TV feita ao vivo e com participação dos telespectadores, na qual usarão um programa de captura de movimentos em tempo real para gerar imagens em 3D - nesse caso o Kigurumi Live Animator, abreviado como KiLA, que saiu de um projeto indie encabeçado por engenheiros e designers e que foi oficialmente apresentado em março desse ano no evento "Game Developers Conference" na cidade de São Francisco, Estados Unidos. Ele se encontra em fase inicial, mas dá pra notar que haverá uma boa demanda quanto ao seu uso em jogos e eventos; clique aqui para visitar o site do projeto, e aqui para ver uma garota bonitinha em 3D explicando como o programa funciona. Caso achem cedo demais o aproveitamento dele em uma série de TV, saiba que isso tudo parece mesmo algo idealizado de última hora, porque só agora em junho, faltando um mês para a estreia do anime, é que realizaram às pressas audições para escolher as dubladoras das três protagonistas, que serão as novatas Aoi Koga, Yuuki Kuwahara (Hime em "Himegoto") e Seri Fukagawa (Touko em "Glasslip").

E pra encerrar o texto informo que esta não será nem a primeira vez que farão uma animação desse tipo: em 2014 o mesmo diretor, Koutarou Ishidate, comandou a série de 10 episódios "Minarai Diva", onde duas dubladoras improvisavam em tempo real os diálogos e as músicas a serem cantadas por suas personagens que aspiravam se tornar artistas famosas - quem estivesse acompanhando o anime poderia mandar sugestões para o episódio através do Twitter ou e-mail, e toda a animação era produzida com o auxílio do "MikuMikuDance", ferramenta inicialmente criada para o sintetizador de voz "Vocaloid". Cada episódio durava cerca de 40 minutos, mas infelizmente só achei online pela internet este breve vídeo que dá uma noção de seu andamento, e caso se interesse pode ver as várias apresentações de encerramento do mesmo clicando aqui. Sendo sincero, tanto "Minarai Diva" do qual assisti só um pouco porque nunca foi traduzido por inteiro, quanto possivelmente "Mahou Shoujo? Naria☆Girls" valem mais a pena dar uma olhada por conta da descontração, conversa jogada fora e erros ao vivo das participantes, porque a qualidade da animação em si e as piadas improvisadas como um todo não são lá muito boas...

Koutarou Ishidate não será apenas diretor, como ainda cuidará dos roteiros, ao passo que Okazu Misoyama ficará a cargo do "character design".  


**********

Masou Gakuen HxH
Formato: TV 
Data de estreia: 06/07
Estúdio: Production IMS
Diretor: Hiroyuki Furukawa ("Okusama ga Seitokaichou!")
Gênero: Ação / Comédia / Fantasia / Romance / Sci-fi
Tema: Ecchi / Escolar / Harém
De onde saiu: Light novel, 7 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

"E então, Kizuna agarrou a bunda dela com firmeza, e..." (trecho da light novel)

Hida Kizuna possui em seu corpo a habilidade "Heart Hybrid Gear", ou "HHG", que é usada para enfrentar máquinas vindas de outro mundo que invadiram a Terra - mas nesse caso em particular seu poder não é forte o suficiente para torna-lo útil em tal tarefa. Recebendo espantado a notícia de sua irmã, Hida Reiri, que ele será transferido para a prestigiada academia Ataraxia onde ela é diretora, instituição que serve como ponto estratégico na batalha contra o inimigo e possui um grupo formado só por garotas que usam suas habilidades "HHG" trajando armaduras reveladoras, logo no primeiro dia nesse lugar Kizuna se vê obrigado em ajudar a defende-lo de um ataque surpresa. Apesar de não ser capaz de lutar em alto nível, nesse incidente Kizuna descobrirá, ao ouvir conselhos de sua irmã enquanto socorre a estudante Aine Chidorigafuchi após essa ficar exausta durante o conflito, que ele é capaz de reabastecer rápida e totalmente a energia do "HHG" praticando atos indecentes nas garotas, capacidade essa que será vital na missão de salvar o mundo.

Publicada desde 2014 pela Kadokawa Shoten, eu lavei as mãos para a light novel de "Masou Gakuen HxH"; já revelo que li somente metade do primeiro volume antes de "dropa-la" com satisfação, visto que mais uma vez podem mudar os termos técnicos e nomes de locais, personagens, inimigos e poderes ou armas especiais, porém o desenrolar e arquétipos usados são as mesmas bobagens de sempre para um harém escolar com elementos sci-fi e teor ecchi - e no caso desse é um teor ecchi pra lá de considerável, praticamente explícito.

Não vou enrola-los: clique aqui para visitar um pequena galeria de imagens mais leves da light novel a fim de ter uma noção de sua estética, aqui para ver cenas ecchi em níveis moderados (censura conveniente nos seios, apalpadas acidentais, roupas rasgadas reveladoras, o material de rotina!) e aqui para visualizar a "cereja do bolo" dessa obra, composta por lambidas, chupadas, lesbianismo, tentáculos que exploram todos os cantos do corpo feminino, posições dúbias com personagens totalmente nus e muitos fluidos sugestivos, dentre outros eventos. O plano de fundo disso tudo? Ah, é o cenário padrão: 15 anos atrás vários portais se abriram na Terra e deles saíram máquinas com tecnologia altamente avançada mesclada a magia que, num piscar de olhos, devastaram vários países e causaram a morte de cinquenta milhões de pessoas - cada tipo de máquina foi nomeada de acordo com sua aparência e habilidade, enquanto que o mundo atrás dos portais ficou conhecido apenas como "Another Universe", ou AU. Por algum motivo inexplicável (sempre assim!) esses inimigos vindos do AU parecem não poder se afastar muito de seus portais, justificando a ideia de cidades totalmente devastadas dos cinco continentes terem sido reconstruídas em territórios artificiais em pleno oceano como foi o caso do Japão, havendo ainda o detalhe de que esse país possui como principal ponto de defesa a academia Ataraxia e suas garotas da equipe "Amaterasu", que usam as reduzidas armaduras "Heart Hybrid Gear" para combater os seres do AU, já que armas normais não funcionam contra eles. Resumindo o restante dos argumentos que só são um copiar e colar de várias light novels do mesmo estilo, o "Heart Hybrid Gear" foi criado aproveitando-se da tecnologia do próprio inimigo, porém essas armaduras possuem como maior limitação o fato de sua energia se esvair rapidamente após algum tempo, e até então só restava esperar que elas se reabastecessem naturalmente - algo que não será mais preciso com a chegada de Kizuna, é claro. Traumatizado por ter sido menosprezado pela própria mãe na infância após ela o usa-lo para testar o "HHG" e perceber que o filho era pouco compatível com esse poder, o rapaz agora se tornará o centro do grupo Amaterasu uma vez que descobriram a possibilidade em repor com extrema rapidez toda a energia das armaduras caso um homem e uma mulher, ambos usuários do "HHG", juntem seus corpos e corações em um só e realizem uma sessão de carícias e prazer mútuo! Ah, se for preciso é até carregado para o meio do campo de batalha uma salinha à prova de som carinhosamente apelidada de "Quarto do Amor", onde esses jovens que arriscam suas vidas em salvar a Terra podem, com total discrição (ou nem tanto), repor suas energias em instantes sem abandonar a missão!

Aliás, por algum motivo (...) o protagonista tem de gritar "EROS!" para ativar sua armadura.

Com um harém formado pela orgulhosa Aine Chidorigafuchi (é spoil eu dizer que, novidade alguma, o passado dela e de Kizuna estão ligados?), a atrapalhada e irmãzona Yurishia Farandole (seios desse tamanho já é piada!), a rigorosa e facilmente irritável membro do comitê disciplinar Hayuru Himekawa e a pequena e alegre aluna transferida britânica Sylvia Silkcut, o pobre Kizuna terá bastante "trabalho" pela frente, e a julgar pelo pouco que li da light novel essa sua tarefa chegará a um nível mais avançado (armaduras de maior poderio) que possivelmente "justificará" o teor pesado de algumas ilustrações dela. Enfim, no texto do péssimo "Hundred" durante o guia da temporada de primavera eu já tinha avisado que tentaria gastar menos tempo lendo e escrevendo sobre esse tipo de adaptação, porque, se ainda consigo ser paciente com os melosos shoujo românticos e descerebrados battle shounen de sempre, já há muito tempo que não aturo mais essas light novels tão formulaicas e engessadas, logo não faço questão de me aprofundar na leitura com o intuito de ficar a par da evolução do suposto enredo. Vale pelo ecchi e pronto, mas talvez só depois de lançarem a versão Blu-ray sem censura.

Produzido pelo Production IMS - estúdio que tem ficado experiente em adaptações desse gênero, a destacar o já citado "Hundred", as duas temporadas de "Shinmai Maou no Testament" e "Date A Live II" -, "Masou Gakuen HxH" virá com Hiroyuki Furukawa na direção, Yasunori Yamada ("Karin") na supervisão de roteiros e Kana Miyai no "character design".

**********

Mob Psycho 100
Formato: TV 
Data de estreia: 12/07
Estúdio: Bones
Diretor: Yuzuru Tachikawa ("Death Parade")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Sobrenatural
De onde saiu: Mangá, 12 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui (Leg. em inglês)

Kageyama Shigeo, também conhecido pelo apelido de "Mob", é um jovem estudante que possui habilidades psíquicas, contudo ele evita usa-las em público para não causar danos a outras pessoas, chegando inclusive a sufocar suas emoções a todo custo. Trabalhando com seu "mentor" paranormal Reigen Arataka (que na verdade não possui poder algum) na solução de casos envolvendo espíritos, o maior e talvez único objetivo na vida de Kageyama é conquistar o coração da colega de classe Tsubomi, mas uma série de pessoas bizarras e eventos sobrenaturais cruzando constantemente o seu caminho tornam seu dia a dia imprevisível e estressante, algo que em dados momentos causará o transbordamento das emoções do rapaz e uma manifestação incontrolável de seus poderes.

Publicado digitalmente desde 2012 pela Weekly Shounen Sunday, pode-se dizer que "Mob Psycho 100" conseguiu carta branca para ter seu anime graças ao tremendo sucesso obtido por outra animação baseada em uma obra do mangaká ONE, precisamente o exagerado "One Punch Man" e seu protagonista super herói careca que derrota quase todo mundo com apenas um soco. Aqui o personagem principal Kageyama não alcança tal feito, mas quase chega lá, e seu anime não virá com uma arte mais caprichada visto que a versão original não teve algum ilustrador refazendo os rabiscos de ONE igual ocorre com "One Punch Man", porém no caso desse último isso de forma alguma atrapalhará na diversão - pelo contrário, na realidade eu julgo que a permanência desse estilo mais "desleixado" até ajuda na ambientação da história e seus acontecimentos absurdos.

Li 3 volumes do mangá, e só parei porque não queria estragar tanto a experiência com o anime, mas de todo modo isso foi o suficiente para notar o quão "Mob Psycho 100" é mesmo semelhante a "One Punch Man" em diversos pontos, a começar pelo fato de seus protagonistas serem bastante inexpressivos, não saberem ler a atmosfera ao seu redor e possuírem força descomunal - um deles fisicamente, o outro na questão psíquica, e aproveito a deixa para mostrar aqui que de vez em quando eles inclusive aproveitam algum espaço para realizar pequenas menções ao mangá do carequinha. Também é parecida com a cômica relação de Saitama e Genos, mas em papéis invertidos, a situação de Kageyama com seu "mestre" Arataka, um picareta que paga míseros 300 ienes por hora ao rapaz e lhe dá vários conselhos sobre seus poderes paranormais quando ele mesmo mal possui um pingo de energia espiritual, aproveitando-se de sua lábia e ridículas "técnicas" secretas como purificar fotos de espíritos usando um editor de imagens e fazer massagens para retirar maldições, dentre outras genialidades, a fim obter dinheiro dos clientes mais ingênuos - apesar de ser grotescamente óbvio, apenas Kageyama não nota as farsas do chefe. Se for continuar nessa brincadeira posso citar ainda as quebras de expectativa em várias piadinhas, a concisão narrativa, o detalhamento cena a cena em várias sequências, a decisão de nomear lugares toscamente (mas ao invés de meras letras são palavras relacionadas a produtos de cozinha, tais como Escola Sal, Escola Vinagre Preto ou Cidade Tempero)... E por aí vai. Agora, se há um ponto onde "Mob Psycho 100" diverge do primo mais popular, sendo algo que faz alguns leitores até acharem esse mangá o melhor de ONE (eu prefiro ficar no muro, gostei de ambos e ponto final!), seria em relação a como o jovem Kegeyama desenvolverá seu caráter ao longo de sua nada pacífica vida estudantil.

Seja sendo irritantemente recrutado pelos preguiçosos e renegados membros do patético Clube de Telepatia, mas no fim preferindo entrar no Clube de Aperfeiçoamento do Corpo, que é formado por um bando de musculosos amigáveis, a fim de se tornar mais atlético já que sua amada e linda Tsubomi parece gostar desse tipo de pessoa (okay, dizer que é linda com esses traços é exagero, mas parece que no anime deram uma suavizada em seu visual); ou então sendo abordado pelo naaaada suspeito culto religioso conhecido pelo nome de "LOL", cujos integrantes sorriem sem parar e alegam serem felizes o tempo todo (não direi como isso ocorre, mas tal encontro fará Kageyama ter ao seu lado um espírito mala e folgado que pretende usa-lo para dominar o mundo!); ou - citando apenas mais um arco pra verem como o garoto só atrai confusão - seja quando ele se envolve numa briga entre alunos de duas escolas que lhe dará a oportunidade de conhecer outro jovem paranormal um tanto perigoso e egocêntrico, Kageyama tentará ao máximo reprimir suas emoções e vontades, evitará se expor e muito menos usar seus poderes em humanos por conta de certos traumas, porém tantos infortúnios e contrariedades terão como consequência em dado momento o transbordamento de seus sentimentos e uma manifestação colossal de seus poderes, algo cuja evolução podemos acompanhar através de um truque narrativo bastante interessante que é o "medidor" em porcentagem dessas emoções suprimidas - aparecendo geralmente no final de cada capítulo, essa medição serve como uma boa isca para fazer o leitor acompanhar com mais afinco a bola de neve de eventos que se acumulam em torno de Kageyama até ele atingir seu "limite" em 100%. É algo um tanto bobo? Sim, sem contar os próprios acontecimentos em si como os que aqui foram resumidos, entretanto é elogiável o modo que a trama usa esse material e estilo para destrinchar os problemas do protagonista sem recorrer a muita pieguice ou diálogos pomposos, o fazendo aos poucos lidar melhor com o poder que carrega e as pessoas que o cercam. Esse sutil e pra mim inesperado desenvolver de personagem, aliada à comédia quase sacana de ONE e as ótimas cenas de luta tornam "Mob Psycho 110", com justa razão, em uma das estreias mais aguardadas da temporada, e fechemos por aqui a rasgação de seda a ele antes que eu solte mais spoils.

Produzido pelo bom estúdio Bones, "Mob Psycho 100" trará Yuzuru Tachikawa na direção, Hiroshi Seko ("Owari no Seraph") na supervisão de roteiros, Kenji Kawai ("Higashi no Eden", "Barakamon", "Joker Gamer") na trilha sonora e Yoshimichi Kameda no "character design".

**********

Nanatsu no Taizai: Seisen no Shirushi
Formato: TV 
Data de estreia: 28/08
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Tomokazu Tokoro ("Haibane Renmei")
Gênero: Ação / Aventura / Fantasia
Tema: Ecchi
De onde saiu: Spin-off do anime de 2014, vindo de um mangá com atuais 20 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Spin-off de "Nanatsu no Taizai", anime de 2014 baseado em um mangá publicado desde 2012 na "Weekly Shounen Magazine" - estranharam a data de estreia? Pois é, essa nova série terá somente 4 episódios, e todos a serem exibidos após o encerramento de Arslan Senki (TV): Fuujin Ranbu, outro anime que também virá reduzido. Apresentando uma trama original criada pelo próprio autor do mangá, Nakaba Suzuki, eu estou por ora considerando esse título como "spin-off" porque, além de não haver informações mais aprofundadas sobre a sua história, o primeiro anime trouxe tantas mudanças em relação ao mangá (segundo aqueles que conhecem bem as duas obras, pois eu mesmo só li 4 volumes de um e vi 9 episódios do outro até hoje), que fica de fato difícil saber qual será o caminho que essa nova animação tomará. Caso saiam novos detalhes a respeito - o que é bastante provável uma vez que temos ainda dois meses pela frente até sua estreia - eu os adicionarei nesse texto e avisarei na área de atualizações no início do post.

Fora isso, mais um ponto que dificulta especular o rumo dessa produção é a equipe responsável por ela: apesar de em outubro passado terem anunciado uma futura continuação de "Nanatsu no Taizai" com os mesmos integrantes da primeira série de TV, no site oficial de "Nanatsu no Taizai: Seisen no Shiruishi" outros nomes são creditados em algumas das funções principais - talvez o anúncio estivesse se referindo a uma eventual terceira série de TV, essa de exato a segunda temporada, ou será que houveram mesmo mudanças nesse meio tempo? Enfim, a certeza por ora é que o site oficial lista Tomokazu Tokoro na direção no lugar de Tensai Okamura ("Ao no Exorcist", Wolf's Rain"), enquanto que Yuniko Ayana ("Kiniro Mosaic", "Orenchi no Furo Jijou", "Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu") substitui Shoutarou Suga ("Dimension W", "Uchouten Kazoku") na supervisão de roteiros. Por outro lado, Hiroyuki Sawano ("Kill la Kill", "Aldnoah.Zero", "Owari no Seraph", "Shingeki no Kyojin") permanecerá a cargo da trilha sonora e Keigo Sasaki ("Ao no Exorcist", "Boku dake ga Inai Machi") cuidará do "character design", não se alterando também o estúdio produtor, A-1 Pictures. 


**********

New Game!
Formato: TV 
Estúdio: Dogakobo
Diretor: Yoshiyuki Fujiwara ("GJ-bu", "Mikakunin de Shinkoukei", "Plastic Memories")
Gênero: Comédia / Slice-of-Life
De onde saiu: Mangá, 3 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Garotas bonitinhas fazendo jogos. Ou quase isso.

Originado de um mangá em tirinhas 4-koma publicado desde 2013 na revista seinen Manga Time Kirara Carat ("Hidamari Sketch", "Kill Me Baby"), "New Game!" traz como protagonista Aoba Suzukaze, uma jovem que ao terminar o ensino médio consegue um emprego na Eagle Jump, empresa desenvolvedora de jogos. Trabalhando como desenhista de personagens, vemos Aoba ficando aos poucos mais íntima de suas colegas que atuam na mesma área que ela ou em outras, além de se esforçar para conseguir dar conta de tantas lições e novidades que surgem no dia a dia.

Chamar todas de "garotas" soa um tanto estranho, considerando que já são adultas - porém a arte tão moe de Tokunou Shoutarou, que afirma ter usado como base para esse mangá os três anos em que ele trabalhou numa empresa desenvolvedora de jogos, até nos impele a esquecer disso, e no caso de Aoba é até pior uma vez que sua aparência e estatura faz os outros imaginar que estão lidando com uma criança do fundamental. Tendo lido dois volumes dessas tirinhas e pegando uma obra recente para servir de comparação, dá pra dizer que "New Game!" é uma versão muito mais superficial e visualmente açucarada de "Shirobako", só que obviamente voltada a jogos: ou seja, teremos sim explicações sobre alguns dos processos de criação e produção dos mesmos, fora ocasionais curiosidades e referências, mas isso será normalmente feito de maneira breve e sem muitos detalhes, os deixando assim em segundo plano diante do que realmente importa para o mangá que é retratar as interações fofas e engraçadinhas entre um grupo de garotas... Ou mulheres, sei lá.

Amante de "Fairies Story", jogo do qual adorava quando criança e que foi desenvolvido pela empresa onde trabalha agora, sendo que seus personagens foram criados justamente pela sua atual chefe Kou Yagami - ôpa, é melhor não especular sua idade! - Aoba será a habitual líder de uma obra ao estilo "cute girls doing cute things" que se mostrará bastante lerdinha, esquecida e ingênua, sem contar seu comportamento e gosto infantis (ah, quanta fofura para um reles saco de dormir em forma de urso!); todavia, logo percebemos que ela se encaixará facilmente nesse descontraído ambiente de trabalho cujas colegas também não são muito maduras e tampouco normais. Seja pegando dicas com Hifumi, jovem extremamente tímida que não aguenta interagir com as pessoas frente a frente, contudo se torna muito comunicativa através de animadas mensagens cheias de emoticons via computador e, vá entender, ama fazer cosplay; ou seja lidando com Hajime e sua ânsia de querer se mostrar mais feminina e confiável, Umiko e sua obsessão por airsoft e jeito meio rude de agir, Yun e seu forte sotaque do interior e extravagante visual de lolita gótica, ou a já citada Yagami, que apesar do posto de chefe das desenhistas de personagens está distante de ser um bom exemplo paras as mesmas devido ao seu estilo de vida - ficando isso mais a cargo da serena e organizada Rin, diretora de arte com a qual Yagami protagonizará um bom número de cenas yuri vibe -, Aoba terá pela frente a rotina de um emprego onde poderá às vezes receber sermões ou se sentir pressionada devido a cronogramas apertados e tarefas que ainda não domina, como criar vários NPCs para um jogo em poucos dias ou corrigir falhas em seus modelos, porém na maior parte do tempo testemunharemos de fato jovens lindinhas realizando diálogos bem humorados que resultam em reações moe. Claro, não que alguém fosse esperar mais do que isso logo depois de vê-las tomando chá com biscoitos (!) durante o expediente ou dando desculpas como "dormi demais" e "demorei muito tempo tomando café da manhã " para justificar um atraso, mas só queria deixar isso em evidência...

Possuindo ainda um fanservice ameno que na série de TV ficaria totalmente esporádico e irrelevante, "New Game!" será produzido pelo Dogakobo, estúdio do qual permaneço tendo certa afeição por conta de seu estilo usado em animações que cai tão bem para obras slice-of-life, tais como "Himouto! Umaru-chan", "Gekkan Shoujo Nozaki-kun", "Love Lab" e "GJ-bu" - atualmente eles estão com "Sansha Sanyou" em exibição, um anime que eu até esperava uma comédia melhorzinha, mas, na parte que toca ao estúdio quanto a produção, isso continua agradável. Dirigido por Yoshiyuu Fujiwara, "New Game!" trará Fumihiko Shimo ("Air", "Amagi Brilliant Park", "Clannad") na supervisão de roteiros, Hajime Hyakkoku ("GJ-bu", "K-ON!", "Gugure! Kokkuri-san") na trilha sonora e Ai Kikuchi ("Mikakunin de Shinkoukei") no "character design".  

**********

Onara Gorou
Formato: TV (5 min. por episódio)
Estúdio: ILCA
Diretor: Takashi Taniguchi ("Mori no Andou", "Salaryman Man")
Gênero: Comédia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui

Ele é incolor, contribui 21% vezes mais para o efeito estufa do que o dióxido de carbono e pode alcançar uma velocidade de até 0,1 metro por segundo: essas são algumas características dos gases flatulentos expelidos por nós humanos e milhares de outros seres vivos, que também são popularmente conhecidos por nomes como "peido", "pum" e etc. Estou citando essas curiosidades altamente inúteis porque "Onara Gorou" trará como protagonista Gorou, o "mais admirável dos peidos", que de acordo com a sinopse oficial resolverá problemas que somente um gás flatulento humanoide pode resolver (?).

Antes de questionarem como algum empresário ou estúdio permitiu se arriscar em tornar isso um anime, saibam que meses atrás foi aberta uma campanha com o intuito de arrecadar 1,5 milhão de ienes (R$ 49 mil) para a sua produção, e 187 pessoas se mostraram dispostas a bancar tal ideia! (e enquanto isso a campanha do gato banana tem sido um fracasso...) - mas claro que esses heróis não saíram de mãos abanando, pois conforme o valor doado você poderia receber em troca desde porta copos e camisas personalizadas com o rosto de Gorou, a até um travesseiro gigante (170 cm x 60 cm!) reproduzindo o corpo gasoso do protagonista e, o ápice da vergonha alheia, uma participação especial na futura série de TV. Aliás, esse mesmo personagem existe já tem algum tempo, sendo possível ver um modelo seu em 3D no programa "MikuMikuDance" ou então se destacando numa linha de cuecas com desenhos engraçadinhos de gosto extremamente duvidoso.

Por fim, vale ressaltar que esse projeto não veio da mente de qualquer pessoa, e sim de Takashi Taniguchi, um animador famoso no cenário alternativo graças aos seus estranhos curtas experimentais onde ele faz de tudo, seja direção, roteiros, dublagem do elenco inteiro e inclusive efeitos sonoros - eis um belo exemplo disso neste trecho de "Shigeo is Handsome", animação que mostra um garoto aparentemente perfeito enfrentando terroristas em um avião, mas cuidado que o final é bem "trágico", hein! Outras pérolas suas que pude achar pela internet são "Mr. Ando of the Woods", protagonizado por animais falantes e um homem que se passa por pinguim de maneira impecável; "Salaryman Man", onde conhecemos um assalariado herói que salva o dia usando armas de fogo e cartões de visita que o fazem voar; "Great Detective Gordon", que nos apresenta o detetive com o maior poder de dedução já visto na história; e, o único que achei de fato engraçado (os demais às vezes só me fizeram rir em certas cenas porque atingiram níveis inesperado e abissalmente trash), "Mr. Stomach", curta que nos obriga a ficar 6 minutos ouvindo as lamentações de um estômago a respeito de sua rotina pesada que não é reconhecida. Havendo vários personagens sempre com as mesmas vozes, dublagem amadora sem emoção alguma e de péssima dicção, diálogos e acontecimentos esdrúxulos e tentativas conscientemente falhas de incluir pseudo lições moralistas aqui e ali, é realmente difícil declarar que qualquer um desses trabalhos de Taniguchi seja exatamente bom, ainda porque esse nem seria o objetivo, porém há de bater palmas para alguém que toma conta de todas as etapas das animações sozinho e que parece se divertir muito enquanto faz isso. Um peido humanoide? Ah, deverá ser uma porcaria, mas não nego que tenho interesse em ver quais bizarrices sairão daqui...

Produzido pelo ILCA ("Yami Shibai"), "Onara Gorou" será a terceira animação do estúdio em parceria com o canal japonês Kyushu Asahi Broadcasting - no ano passado os dois fizeram juntos os igualmente experimentais "Kowabon" e "Kurayami Santa". Taniguchi seguirá cuidando de tudo nessa sua estreia em uma série de TV, e, além de ele já ter iniciado em março uma versão mangá desse anime, no mesmo mês foi lançado no Youtube uma espécie de "episódio 0", que apenas mostra Gorou explicando a um garoto como são formados os gases flatulentos - clique aqui caso queria se arriscar em dar uma olhada.

E pra encerrar, foi divulgado que os episódios terão 5 minutos de duração cada, entretanto esse deve ser o tempo total de seu espaço na televisão contando os comerciais - possivelmente a duração exata será de 3 minutos ou até menos, igual aos outros trabalhos do ILCA, mas aguardarei uma confirmação oficial sobre isso.


**********

Orange
Formato: TV 
Data de estreia: 04/07
Estúdio: Telecom Animation Film
Diretor: Hiroshi Hamasaki ("Blade & Soul", "Shigurui", "Steins;Gate", "Terraformars")
Gênero: Drama / Romance
Tema: Escolar
De onde saiu: Mangá, 5 volumes, finalizado.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

O romance água com açúcar da temporada.

Certa manhã Naho Takamiya recebe em casa uma carta cuja remetente afirma ser ela própria dez anos no futuro. Em um primeiro momento não acreditando em seu conteúdo, a garota se vê obrigada a mudar de ideia conforme percebe que os eventos do dia narrados na carta acabam acontecendo de verdade, especialmente a chegada de um novo aluno na sua sala chamado Kakeru Naruse, rapaz esse que aos poucos fará parte de seu grupo de amigos formado ainda por Hiroto, SakuTakako e Azusa

Detalhando então o que virá a ocorrer nas próximas semanas e meses, a Naho do futuro explica como possui diversos arrependimentos de ações errôneas tomadas nessa fase de sua vida, desejando assim que a Naho estudante corrija tais eventos no seu lugar, e em particular os que envolvem Kakeru. Na carta é revelado que o garoto não estará mais entre eles no futuro, cabendo à jovem Naho a partir de agora tomar conta dele e realizar as ações corretas a fim de evitar uma iminente tragédia.

Baseado num mangá shoujo que de 2012 a 2015 transitou pelas revistas Bessatsu Margaret ("Lovely Complex", "Ao Haru Ride") e Monthly Action, o anime "Orange" tem à sua disposição uma obra de apenas 5 volumes que já se encontra encerrada, perfeitinha para ser adaptada numa série de 12-13 episódios sem haver cortes nem fillers. Sua versão em live-action lançada nos cinemas em dezembro passado obteve uma bilheteria satisfatória considerando a origem, e aqui no Brasil o mangá terminou há pouco tempo de ser publicado pela JBC, com aquele criticado papel tão transparente que de certo modo nos faz sentir na pele da protagonista, uma vez que conseguimos enxergar o que vai se passar nas próximas duas páginas antes mesmo de viramos a folha...

Dito isso, como li a versão nacional de "Orange" por completo em 3 dias, excepcionalmente para esse texto não haverá links de nenhuma imagem do mangá, mesmo porque eu não ia depois ficar vasculhando as páginas de algum scan para isso - mas no final essa limitação não me atrapalhou em nada já que se trata de uma história da qual quanto menos se falar a respeito, melhor.

Apesar do tema inicial com ares de sci-fi, "Orange" não abre mão dos elementos habituais para uma trama desse gênero e demografia. Totalmente insegura, tímida e consideravelmente devagar para compreender as ações e intenções dos outros (e que "surpresa" eu tive ao descobrir que ela será dublada por Hanazawa Kana, pra variar!), a Naho ainda adolescente precisará de muita paciência do espectador no início por conta de suas inúmeras hesitações e simplórias reflexões enquanto lida com essa grande responsabilidade em salvar uma pessoa que acabou de conhecer - e do qual ela rapidamente nutrirá um sentimento maior do que amizade, é claro. Novidade alguma, isso de modificar eventos do passado pode parecer fácil no papel para quem está ali no futuro pedindo ajuda e dando dicas, porém para quem vive o momento atual não o é - seja para emprestar alguma coisa a alguém no momento certo ou evitar uma briga que arranhará a relação com um amigo -, ainda mais se você é uma garota com essa personalidade de auto estima tão baixa, que prefere sempre ficar para trás e não realizar o que deseja a fim de evitar desapontar e contrariar um terceiro (mesmo quando trata-se da indispensável senpai megera que ameaça roubar seu amado!), e que se mostra tão pura e inocente a ponto de alguém do sexo oposto lhe causar extremo nervosismo e bochechas vermelhas caso este se aproxime demais de ti. Haverão eventuais boas sacadas e resoluções quanto às ações de Naho sob orientação da carta, e a retratação da amizade dela com Kakeru e os demais personagens citados acima é agradável, não nego, mas também admito que o primeiro volume do mangá por inteiro e metade do segundo me foram na maior parte do tempo um revirar de olhos e "Okay, depois eu continuo lendo isso" devido a um bom número de acontecimentos bobinhos e frases excessivamente supérfluas. 

Mas olha eu aqui dando uma ressalva para salvar - em parte - minhas más impressões em relação a obra: Por ser curta, esses e outros vícios mais rotineiros a tal demografia são menos duradouros e não desgastam tanto assim a narrativa, apesar de no quarto volume, por exemplo, eu ter esbarrado em trechos onde pensei "Pôxa, já estamos no penúltimo volume e ainda me fazem uma dessas!". Mesmo que o ato de dar as mãos se torne uma epopeia imbuída de mal entendidos, dividir um guarda-chuva seja embaraçoso, e jamais perdendo a mania de às vezes se desmerecer, Naho evolui numa naturalidade e rapidez que em muitos títulos seria necessário uma dezena de volumes para testemunhar algo semelhante - se no começo mal a suportava, no final já me encontrava muito mais afeiçoado à sua pessoa. Ah, sim, o mangá não é centrado somente nela, valendo citar como o elenco de amigos de suporte é extremamente simpático e como Kakeru, bem... Posso dizer que esse garantirá um bom punhado de revelações bastante dramáticas e pesadas em relação à sua vida, sendo que a autora Ichigo Takano apresenta um equilíbrio elogiável ao mesclar isso com pitadas de comédia e um esboço/tentativa/chove não molha de romance tão casto que para alguns será irritante, e para outros uma sequência de suspiros e sorrisos. Tendo no começo chegado até a pensar brevemente que gastei dinheiro à toa, no geral "Orange" me foi um mangá bom, sem dúvida; muito mais do que um romance, ele mostra de maneira convincente e sentimental como pequenas ações do dia a dia, nessa "brincadeira" de cartas vindas do futuro, podem influir para estreitar ou distanciar relações mais a frente, e como a amizade e ter pessoas ao seu lado se importando contigo e dividindo bons momentos é capaz de gerar grandes modificações na saúde mental de alguém, principalmente se estivermos falando dessa "assustadora" e facilmente influenciável fase da vida na qual se encontram Naho e companhia. Gostaria de abordar outros chavões que o mangá aproveita sem pudor ou opinar melhor a respeito de alguns acontecimentos e personagens, Kakeru incluso, porém esta não é mesmo uma obra recomendável de se fazer isso num texto que, em tese, serviria apenas de "teaser" para um anime que está para estrear. Fiquemos por aqui.

Ah, mas antes de encerra-lo eu quero somente desabafar sobre como toda essa ideia de interação entre passado e futuro é explicada e finalizada de maneira tão estúpida e falha após 5 volumes! É sério, sei que em certo ponto essa questão perde relevância no mangá, o que importa de fato é o drama de Kakeru e Naho tentando ajuda-lo, mas, não seria muito trabalhoso inventar uma justificativa menos furada, né...

A ser produzido pelo Telecom Animation Film ("Lupin the Third (2015)", "Z/X Ignition"), "Orange" terá Hiroshi Hamasaki na direção junto a Yuuko Kakihara ("Chihayafuru 2", "Digimon Adventure tri.") na supervisão de roteiros e Nobuteru Yuki ("Paradise Kiss", "Tenkuu no Escaflowne") no "character design".


**********

Puzzle & Dragons Cross
Formato: TV 
Data de estreia: 04/07
Estúdio: Studio Pierrot
Gênero: Ação
De onde saiu: Jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Um bilhão de dólares: Lançado em 2012 pela empresa japonesa GungHo, "Puzzle & Dragons" foi o primeiro jogo para dispositivos móveis a alcançar tal número em receitas, marca essa obtida, principalmente, por conta da possibilidade de usar dinheiro dentro do jogo - ele é gratuito, contudo é possível adquirir itens que facilitam o andamento do mesmo. Tendo recebido depois outros dois títulos crossover, nesse caso "Puzzle & Dragons Z" (parceria com "Dragon Ball", clique aqui pra ver um vídeo dele), e "Puzzle & Dragons Super Mario Brothers Edition" (esse está óbvio, clique aqui para ver mais um vídeo), ambos lançados para Nintendo 3DS - e aproveito a deixa para citar também as esporádicas colaborações com diversas franquias na versão para dispositivos móveis, como as com personagens da "DC Comics", "Hokuto no Ken" e "Saint Seiya", dentre outros -, o jogo basicamente consiste em uma mescla de puzzle com elementos de RPG e estratégia, onde é necessário combinar ao menos 3 bolinhas de cores iguais numa grade para decidir quais de seus monstros atacarão o inimigo em diversas dungeons e, inclusive, qual será o dano causado. Logicamente, quanto maiores as combinações e mais duradouros os combos, melhor será o ataque, e daí é só acrescentar uns 2000 monstros e uma boa quantidade de técnicas e itens para criar inúmeras variáveis no decorrer do jogo - ah, antes que eu não ache outro espaço para isso, clique aqui caso queira ver um vídeo do primeiro título.

Produzido pelo estúdio Pierrot, o anime não está vindo à toa; dia 28 de julho chegará nas lojas japonesas "Puzzle & Dragon X" (ou "Cross", dá na mesma), novo jogo para Nintendo 3DS que trará modo cooperativo e um sistema de evolução do qual não entendi do que se trata exatamente, mas admito que nem fiz questão de pesquisar muito a respeito - clique aqui para ver um vídeo promocional dele, e aqui para ver duas pessoas o testando e jogando uma contra a outra em um evento. Há ainda uma versão em mangá que teve início no mês passado na revista infantil Coro Coro Comics, além de futuros brinquedos a serem fabricados pela empresa Takara TomyPor fim, como geralmente ocorre nos textos que falam sobre esse tipo de adaptação, em último lugar vem o anime em si: Qual é a sua história? Sei lá! No momento temos apenas o curto trailer acima que apresenta de um lado o protagonista Ace e seu parceiro Tamazou (os mais bobinhos), e do outro o rival Lance e seu companheiro Devi (os de visual mais "cool"). Qual será, então, a equipe de produção? Nem faço ideia! Também não divulgaram nada até agora, logo esperem possíveis atualizações nesse texto apesar de, creio eu, quase ninguém estar lá dando a mínima para tal estreia.

E só para no caso de eu talvez não ter passado links de vídeos o suficiente, clique aqui e aqui para ver dois comerciais de "Puzzle & Dragons" criados pelo Studio Colorido, que fez proveito aqui da sua típica animação de tons alegres para mostrar como um joguinho puzzle pode lhe arranjar amigos e, até mesmo, uma namorada...


**********

Qualidea Code
Formato: TV 
Data de estreia: 10/07
Estúdio: A-1 Pictures
Diretor: Kenichi Kawamura ("SonoAni: Super Sonico The Animation")
Gênero: Ação
Tema: Magia
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui, aqui, aqui e aqui

A história se passa em um lugar onde pessoas continuam em guerra contra os "Unknown" ("Desconhecidos"), o inimigo da humanidade. Várias décadas atrás, durante a invasão desses seres, diversas crianças foram evacuadas para uma instalação com câmeras criogênicas, sendo que agora elas foram despertadas e descobrem que seus corpos adquiriram poderes sobrenaturais. A fim de proteger o país dos Unknown, a destacar as cidades de Tóquio, Kanagawa e Chiba, tais jovens entrarão em conflito usando essas habilidades.

E é com um argumento tão tolo e genérico (aqui mal se deram ao trabalho de nomear o inimigo direito, e olha que nem é a primeira ou segunda vez que fazem isso!) que se apresenta essa nova animação original que faz parte de um projeto multimídia encabeçada por cinco marcas de três editoras: "Dash X Bunko" e "Jump SQ." da Shueisha, "MF Bunko J" e "Fantasia Bunko" da Kadokawa e "Gagaga Bunko" da Shogakukan. Inclusive, em outubro passado foi lançada uma light novel de volume único intitulada "Qualidea Code: Sonna Sekai wa Kowashiteshimae", havendo ainda a previsão de novas obras a serem lançadas no futuro.

Agora, o mais curioso nisso tudo é que um trio de autores sob o pseudônimo "Speakeasy" será o responsável pelo conceito original e roteiros da animação, precisamente Sou Sagara, autor da light novel "Hentai Ouji to Warawanai Neko."; Koushi Tachibana, autor da light novel "Date A Live"; e Wataru Watari, autor da light novel "Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru.". Como é descrito no fim da sinopse, a história focará no que parecem ser três bases localizadas em três cidades que lutarão contra esses Unknown, estando Sou Sagara a cargo da trama de Tóquio, enquanto Koushi Tachibana ficará com Kanagawa e Wataru Watari, com Chiba. Fora isso, no site oficial há somente, na página de personagens, a separação do líder e sub-líder de cada local, não tendo qualquer outro detalhamento a respeito dos mesmos. Animações originais são sempre "duvidosas", pra dizer o mínimo, mas isso de autores populares tomando conta de partes diferentes de uma obra me lembra muito certa bomba do ano passado, apesar de que nessa os criadores do conceito original não se envolveram na versão animada, ao passo que aqui eles são o centro do projeto - o que não muda muita coisa já que se tem uma premissa tão sem sal como essa. Deve prestar para um anime de ação com seus personagens à primeira vista apelões, mas nada além disso.

A ser produzido pelo estúdio "A-1 Pictures", "Qualidea Code" terá o novato diretor Kenichi Kawamura na direção junto ao ótimo Taku Iwasaki ("Akame ga KILL!", "Bungou Stray Dogs", "Jormungand", "Noragami") na trilha sonora e Hisayuki Tabata ("Fate/stay night: Unlimited Blade Works", Yuyushiki") adaptando o "character design" originalmente feito por Matsuryuu ("Shoujo-tachi wa Kouya wo Mezasu").


**********

Regalia: The Three Sacred Stars
Formato: TV 
Data de estreia: 07/07
Estúdio: Actas
Diretor: Susumu Tosaka ("IS: Infinite Stratos 2")
Gênero: Ação / Mecha / Sci-fi
De onde saiu: Animação original.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Garotas fofas e mechas, ah que...

Doze anos atrás, no país de Rimguard, um grande incidente deixou um mistério sem solução que aos poucos foi sendo esquecido pelas pessoas. Já no presente, as garotas Yui e Rena levam uma rotina comum no reino de Enastoria, porém elas verão suas vidas mudarem drasticamente quando um gigante robô surge e ataca esse local.

Pois é, e temos só isso. Produzido pelo pequeno estúdio Actas ("Girls und Panzer", "Moetan") e apoiado por uma equipe sem grandes credenciais, "Regalia: The Sacred Stars" se junta ao grupo de animações originais do qual não se dá para ter muita esperança, em um primeiro momento, de que sairá algo de fato bom - o que é o caso da maioria delas nessa temporada, para ser franco. Ambicionando mesclar um elenco feminino com mechas de visual um tanto sem graça, no momento o site oficial do anime nos apresentou as descrições bem curtinhas de seis garotas, dentre elas Rie, uma jovem gentil e adorada por todos que é boa nos afazeres domésticos e cujos pais já faleceram; Yui, garota mais nova que mora com Rie; Ingrid, uma bela e inteligente mulher que fará de tudo para atingir seu objetivo (qual objetivo?); Kei, uma misteriosa garota de poucas palavras que por algum motivo está trabalhando com Ingrid; e as irmãs Tia e Sara, que viajam pelo mundo procurando certo alguém - ainda há outros 7 personagens dos quais só divulgaram os nomes, clique aqui para vê-los num post do Anime News Network. Está certo que temos poucas informações para se especular em cima, entretanto vejo "Regalia" no mesmo barco que "Qualidea Code", por exemplo: é possível que no quesito ação seja um entretenimento satisfatório, mas em contrapartida a história deverá ser uma bagunça...

Dirigido por Susumu Tosaka, que aqui comandará sua segunda série de TV após o fraco "IS: Infinite Stratos 2" em 2013, "Regalia: The Three Sacred Stars" terá ainda Keigo Koyanagi ("Go! Go! 575") na supervisão de roteiros, Kimitake Nishio ("Kowarekake no Orgel") adaptando o character design criado por QP:flapper (ilustrador da light novel de "MM!") e Kanta Suzuki ("Active Raid", "Buddy Complex") nos desenhos mecânicos.

**********

Servamp
Formato: TV 
Data de estreia: 05/07
Estúdio: Brain's Base
Diretor: Itto Sara
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Sobrenatural / Vampiros
De onde saiu: Mangá, 9 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aquiaqui e aqui

A história tem como protagonista Mahiru Shirota, um responsável garoto de 15 anos que mora com o tio e realiza todo tipo de serviço doméstico com facilidade. Certo dia, ele pega na rua um gato preto ao qual dá o nome de Kuro, porém logo descobre que esse felino é na verdade integrante de um grupo formado por 7 vampiros que representam os pecados capitais - no caso de Kuro ele é a personificação da Preguiça, o que resulta nesse uma extrema falta de vontade para executar qualquer atividade. Devido a certas circunstâncias, os dois formam um contrato de mestre e servo conhecido pelo nome de "Servamp", e a partir disso Mahiru se vê envolvido em uma batalha entre os 7 vampiros contra Tsubaki, o oitavo irmão que não é reconhecido pelos demais.

Originado de um mangá publicado desde 2011 na "Monthly Comic Gene", uma revista shoujo, "Servamp" será outra obra do estúdio Brain's Base voltada ao público feminino que trará um elenco inchado de rapazes alguns deles bonitões, outros exóticos, uns terceiros talvez interessantes ou simpáticos, e por fim... O protagonista, caso queira alguém de aparência ordinária, contudo ótimo na cozinha e afazeres domésticos! Sinceramente, eu não gostei do mangá e não pretendo assistir o anime, mas julgo que esse parece ter mais futuro do que certo título de "comédia" sobre um bishounen da 5ª série, por exemplo...

Li dois volumes, e, ao perceber o tamanho das minhas anotações a respeito deles, vi que em se tratando de discussões e explicações até que teve muita coisa, mas de conteúdo e desenvolvimento mesmo não houve quase nada que mereça ou possa (para evitar spoils avançados) ser mencionado aqui. Morando com o tio uma vez que seus pais faleceram quando criança, Mahiru encarna o tipo de personagem certinho e ajuizado que de repente se vê cercado por um bando de excêntricos, a começar por Kuro, um vampiro que personifica a preguiça e que ora será visto como um jovem com olheiras que mal consegue mover um músculo sem resmungar e sentir dor, ora como um gatinho pra lá de fofo porque, bem, todos os vampiros da história são capazes de se transformar em animais em sua maioria bonitinhos por algum motivo qualquer. Como é de se esperar, por serem tão opostos um não vai nada com a cara do outro logo de início, mas eles terão de entrar num acordo rapidamente e formar um contrato de "Servamp" para que assim possam conter os ataques do histérico Tsubaki - representante da Melancolia - e seus lacaios, que tem transformado outros humanos em vampiros de baixa classe e que planeja ainda se vingar de seus 7 irmãos - agora coloque no meio disso um dramalhão envolvendo alguém próximo de Mahiru que revela ser seu inimigo (sem spoils! Mas esse plot twist é muito manjado...), fato esse que ocasionará em certa exposição mais detalhada em relação ao caráter do protagonista, e temos o primeiro arco do mangá, do qual fiquei impedido de ver o início do segundo simplesmente porque desde fevereiro não são traduzidos novos capítulos. Daí em diante, é o esquema básico: surgirão os demais personagens baseados nos pecados capitais com suas personalidades unidimensionais, seja um óbvio vampiro guloso, uma vampira irada que é vista o tempo inteiro de cara amarrada ou um pervertido bishounen que representa a luxúria e adora se despir em público - sendo esse último servo de um garoto riquinho, solitário e de saúde frágil que primeiro comprará briga com Mahiru, mas depois se tornará seu amigo -, e dessa forma o protagonista vai reunindo aliados, adquirindo uma arma não muito estilosa e afeiçoando sua parceria com Kuro para em pouco tempo ser capaz de enfrentar Tsubaki.

Apresentando reviravoltas longe de causarem alguma surpresa e mostrando sequências de ação tão fracas e curtas que nem achei revelante exibi-las aqui, sem falar no elenco formado por um bando de personagens com trejeitos demasiado afetados, eu só não digo que "Servamp" é total perda de tempo porque os dois volumes lidos foram ainda bem introdutórios; acredito que esse tal embate com Tsubaki deva durar ao menos outros dois volumes, e não seria um espanto caso tudo acabasse "em pizza", não ocorrendo grandes tragédias visto que esse inimigo e seus seguidores têm recebido grande destaque para serem jogados fora depois de somente dois ou três arcos. Confesso também que muita da apatia que tive pelo mangá se deve ao meu desgaste a esse tipo de história, então me limito a falar que no geral, para uma obra padrão desse gênero com seus habituais artifícios, a evolução é razoável apesar da grande (enorme) falta de criatividade. Mesmo não rindo dela a comédia é decente, especialmente quanto ao contraste nas ações e frases racionais de Mahiru ao lado de Kuro e os outros vampiros dos pecados capitais - e até com o orgulhoso riquinho que precisa de uma luxuosa cadeira ao seu lado em tempo integral para descansar -, valendo citar ainda que nos momentos de teor dramático o mangá faz bom uso de cenas mais fortes para atrair o leitor; logo, não dá pra negar que "Servamp" atinge o que é necessário para no mínimo ter algum destaque entre o seu público alvo... Que se fosse shounen os comentários parariam por aqui, contudo para um shoujo é estranho notar um protagonista desse estilo em companhia de vários personagens masculinos cuja boa aparência é muito menos explorada do que se esperaria, porém é claro que isso de demografias está longe de possuir fronteiras definidas hoje em dia - cito como amostra recente disso outra adaptação do Brain's Base de 2015 em que parte de sua equipe se repete aqui, "Aoharu x Kikanjuu", que apesar de ter vindo de uma obra shounen possui um conteúdo potencialmente sugestivo e atrativo às garotas. Em "Servamp" dá sim para se notar ocasionalmente alguns elementos voltados ao público feminino, mas o mangá em um todo e com certeza o anime também podem ser vistos pela ala masculina tranquilamente, mesmo por aquela porção que não mostra interesse em shoujo.

A ser dirigido pelo debutante Itto Sara, "Servamp" trará junto Hideaki Nakano ("Aoharu x Kikanjuu") de diretor assistente, Kenji Konuta ("Aoharu x Kikanjuu", "Blood Lad", "Diamond no Ace") na supervisão de roteiros e Junko Yamanaka ("Aishiteruze Baby", "Aoharu x Kikanjuu") no "character design".

**********

Shokugeki no Souma: Ni no Sara
Formato: TV 
Data de estreia: 02/07
Estúdio: J.C. Staff
Diretor: Yoshitomo Yonetani ("Brigadoon", "Tiger & Bunny The Movie - The Rising")
Gênero: Comédia
Tema: Culinária / Ecchi / Escolar
De onde saiu: Continuação do anime de 2015, vindo de um mangá com atuais 18 volumes.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Segunda temporada de "Shokugeki no Souma", um legítimo, bobalhão e empolgante anime "battle shounen de culinária" baseado em um mangá publicado desde 2012 na "Weekly Shounen Jump" por Yuuto Tsukuda e Yuki Morisaki - essa última cuida especificamente das inúmeras receitas apresentadas na história, porém a maioria dos fãs deve conhecer mais o ilustrador Shun Saeki, mangaká cuja atraente arte pode também ser vista em algumas obras hentai de sua autoria. Para quem tiver interesse, eu citei a adaptação animada de uma delas, "Menkui!", no post "X-10: Dez animes hentai".

A equipe principal segue inalterada, com o estúdio J.C. Staff na produção, Yoshitomo Yonetani na direção, Shogo Yasukawa ("Terra Formars", "Rokujouma no Shinryakusha!?") na supervisão de roteiros, Tatsuya Katou ("Free!", "Gingitsune", "Mirai Nikki", "Luck & Logic") na trilha sonora e Tomoyuki Shitaya ("Bakuman." "Jinsei", "Kiss x Sis") no "character design". De novidade, teremos aqui a presença do SCREEN Mode (abertura de "Musaigen no Phantom World") e nano.Ripe ("Bakuman.", "Hanasaku Iroha", "Non Non Biyori"), dois famosos grupos que serão responsáveis, respectivamente, pelas músicas de abertura e encerramento do anime.


**********

Show By Rock!! Short!!
Formato: TV (5 min. por episódio)
Data de estreia: 05/07
Estúdio: Bones
Diretor: Takahiro Ikezoe ("Ozma")
Gênero: Comédia
Tema: Música
De onde saiu: Spin-off do anime de 2015, vindo de um jogo para dispositivos móveis.
Site oficial: Clique aqui

Spin-off de "Show By Rock!!", anime musical baseado em um jogo lançado em 2013 para dispositivos móveis cujos personagens foram todos criados pela Sanrio, empresa mais conhecida no Brasil (e no mundo) por conta da famosa Hello Kitty - clique aqui para ver um vídeo desse jogo, que é "freemium" (pode joga-lo de graça, porém é possível comprar itens dentro dele usando dinheiro) e possui mais de 30 bandas diferentes à disposição numa jogabilidade que mescla música e cartas.

Produzido pelo estúdio Bones, tal animação terá episódios de curta duração e será naquele estilo de outras obras spin-off do tipo, na qual apenas veremos os personagens da série original em uma comediazinha sem história alguma - mas pra quem desejava uma continuação basta esperar mais um pouco, visto que desde o ano passado anunciaram a segunda temporada de "Show By Rock!!", prevista para ocorrer logo depois da exibição desses curtas (só resta confirmarem se ela virá mesmo já na temporada de outono ou então mais tarde)

Takahiro Ikezo continua na direção, e Touko Machida ("Hamatora, "Karneval", "Endride", Wake Up, Girls!") permanece na supervisão de roteiros.

**********

Taboo Tatoo
Formato: TV 
Data de estreia: 05/07
Estúdio: J.C. Staff
Diretor: Takashi Watanabe ("Boogiepop Phantom", Freezing", "Shakugan no Shana", "Slayers")
Gênero: Ação / Comédia
Tema: Artes marciais / Super poderes
De onde saiu: Mangá, 11 volumes, em andamento.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui

Treinado em artes marciais, numa tarde qualquer o estudante Seigi salva um morador de rua que estava sendo atacado, e em troca este lhe dá um estranho item que faz aparecer uma tatuagem na palma de sua mão. Logo depois conhecendo de maneira caótica a agente americana Bluesy Fluesy, ou apenas Izzie, o rapaz descobre que essa tatuagem é uma arma que concede poderes especiais ao seu portador, estando Izzie - também usuária dessa arma - encarregada de encontra-las e recupera-las. No início desconfiado quanto às suas intenções, Seigi acaba aceitando formar uma parceria com a garota na busca de outras tatuagens, se envolvendo desse modo em um jogo de intrigas entre os Estados Unidos e o reino asiático do Selinistan.

Originado de um mangá seinen publicado desde 2009 na revista "Monthly Comic Alive" ("Dansai Bunri no Crime Edge", "D-Frag!"), "Taboo Tatoo" vem cheio de termos e diálogos grandinhos explicando tanto as condições de seu mundo, quanto o uso de teorias das áreas da Física e Química, contudo isso é tudo balela para mais uma história rasa cujo protagonista adquire não só um poder especial, mas um poder mais apelativo especial do que os outros, que será aproveitado para lutar contra pessoas também portadoras dessas habilidades. Daí adicione lutas corpo a corpo, trechos de comédia aleatórios seja antes, durante ou depois de algum evento sério, um considerável teor ecchi em diversos níveis, inimigos estilizados (para não dizer loucos) e uma heroína boa de briga que também se mostra um razoável alívio alternadamente cômico, sensual e moe, e eis o resumo do mangá, do qual não gostei muito e já abandonei passados 2 volumes - porém reconheço que para seu gênero ele é, se não algo inspirado, ao menos satisfatório e um tanto estupidamente divertido.

Logo na abertura do mangá conforme pode ver nas páginas linkadas no início do texto, e posteriormente no segundo e dolorido encontro de Seigi com Izzie (o primeiro ocorreu enquanto ele corria pra escola com o clássico pão na boca...), além de duas ocasiões onde o rapaz luta contra usuários dessas tatuagens que são chamadas de "Spell Crest" - ao passo que seus portadores são denominados "Shield" -, os embates corpo a corpo em "Taboo Tatoo" certamente serão para alguns mais interessantes de se ver do que a exibição de poderes que brincam de se basear em teorias reais para justificar sua aplicação. Esmiuçando um pouco o plano de fundo de tudo isso, é dito que essas tatuagens (ou as pedras com elas ainda não ativadas) foram encontradas durante as escavações das ruínas de uma antiga civilização altamente avançada (...), e várias delas foram roubadas por um pesquisador nos Estados Unidos e trazidas ao Japão, sendo nesse ponto que se encaixa o papel de Izzie, que trabalha para o exército americano. Esses artefatos aumentam as habilidades físicas de quem o usa junto ao surgimento de algum poder especial, e Seigi, com a sorte de protagonista ao seu lado, adquire a "Void Maker", um poder raríssimo e perigoso capaz de devorar tudo à sua volta, inclusive ele próprio caso não saiba controla-lo. Ouvindo de Izzie e seu parceiro Tom (o homem de óculos na imagem do parágrafo anterior) que o poder que agora carrega pode ser a chave para desvendar todos os mistérios das Spell Crest e, principalmente, evitar uma guerra entre o Estados Unidos e o Reino Selinistan, que é a segunda maior nação do mundo, Seigi aceita se juntar aos dois na busca pelas demais tatuagens, sem saber que logo no dia seguinte a isso veria a garota - muito mais velha do que realmente aparenta, pois ela parou de crescer quando começou a usar uma Spell Crest - se transferir para a sua sala no disfarce de aluna vinda do exterior! E caso tenha achado essa última parte um absurdo, saiba que a dedicada e peituda amiga de infância do rapaz, Touko, também não viu graça nenhuma nisso!

A propósito, cada Spell Crest é ativada por um objeto ou substância diferente; enquanto a de Izzie é algo sem graça como o uso de giz, por exemplo, o de Seigi é sangue, porque obviamente esse é um detalhe que deixa sua habilidade mais "legal" e impactante, oras. Por fim, os 2 volumes que li não o encerraram, mas o primeiro arco será focado em Aryabhata, uma psicopata e sanguinária princesa do Selinistan que assassinou os próprios pais para aplicar um Golpe de Estado, e que mandará atrás de Izzie e companhia dois integrantes de seu exército privado formado só por Shields, nesse caso a loli inexpressiva Iitutmish e o sádico e boca suja R.R. Lurker.

Pronto, descrevi praticamente tudo que poderia do mangá, mais do que isso será spoil avançado - pra ser exato me restaria somente abordar o teor ecchi, repleto de pantyshots, apalpadas (a significativa parte delas entre garotas), incidentes, closes indiscretos e censura conveniente. Como falei lá em cima eu não gostei muito do que li, e por motivos semelhantes aos de "Servamp" devido ao desgaste com obras desse tipo; entretanto, diferente do mangá de vampiros, em "Taboo Tatoo" achei mais pontos a se elogiar, em especial as já citadas lutas corpo a corpo e o modo como as piadinhas são incluídas no meio da narrativa, ficando evidente que a obra em si não se leva tão a sério (o que é até melhor tendo em conta seu conteúdo). Enfim, dá para se entreter com ela facilmente caso faça vista grossa para suas limitações e clichês ou já curta mesmo esse gênero, porém pra mim ao menos ficarei só com o que vi no mangá.

A ser produzido pelo J.C. Staff, "Taboo Tatoo" será dirigido por Takashi Watanabe e terá Masamitsu Ootake e Mayori Sekijima ("Arata Kangatari", "Pandora Hearts", "Skip Beat!") na supervisão de roteiros, Shinji Hosoe na trilha sonora e Shinya Hasegawa ("Ikki Tousen", "Golden Time") no "character design".

**********

Tales of Zestiria the X
Formato: TV 
Data de estreia: 03/07
Estúdio: ufotable
Diretor: Haruo Sotozaki ("Tales of Symphonia the Animation")
Gênero: Aventura / Fantasia
De onde saiu: Jogo para PS3, PS4 e PC.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui, aqui e aqui

Vinte anos: Essa é a idade que alcançou em dezembro a franquia "Tales", série de jogos de RPG e fantasia que teve início em 1995 com "Tales of Phantasia" para Playstation e Super Nintendo. Desde então, já foram lançados 15 títulos (o 16º, "Tales of Berseria", está previsto para chegar nas lojas japonesas em agosto desse ano), e é claro que nesse longo tempo houveram algumas adaptações animadas, precisamente a série de TV "Tales of Eternia" em 2001; o OVA de 4 episódios "Tales of Phantasia the Animation" em 2004; "Tales of the Abyss", outra animação para a televisão, em 2008; o filme "Tales of Vesperia: The First Strike" em 2009; quatro séries em OVAs de "Tales of Symphonia The Animation" que de 2007 a 2012 renderam 11 episódios; e por fim, antes desse novo anime, veio "Tales of Zestiria: Doushi no Yoake", especial de 44 minutos também produzido pelo ufotable que já se baseia no que é por ora o título mais recente da franquia, lançado em 2015 para PS3, PS4 e PC - clique aqui para assistir um gameplay dele em português, e aqui para ver sua página no Steam (só pra avisar, ele se encontra lá no topo da minha lista de desejos, sabe...).

É preciso dar uma olhada em algum dos animes que citei para assistir esse? Óbvio que não, as tramas de cada título se passam no mesmo mundo, todavia são independentes - havendo poucas exceções -, e pra ser exato "Tales of Zestiria the X" virá com uma história que difere da sua fonte em vários pontos de acordo com a sinopse disponível no site oficial. Nela, o protagonista é Sorey, um jovem humano que cresceu no meio dos serafins, que são seres incapazes de serem vistos pela grande maioria das pessoas - contudo, o rapaz acredita em antigas lendas nas quais é dito que antes todos os humanos podiam vê-los, sonhando desse modo tornar possível que ambas as raças possam, um dia, viver juntas novamente. Nisso, certa tarde Sorey visita a capital dos humanos pela primeira vez e acaba se envolvendo em um incidente, que terá como resultado o fato de ele conseguir puxar uma espada presa numa pedra e, assim, se tornar um "Shepherd", alguém que é apto a enfrentar os males que assolam o mundo (entenda essa parte como derrotar criaturas geradas por emoções negativas que no jogo são chamadas de "Hellion"). Com uma importante missão em suas costas, Sorey partirá em uma jornada acompanhado de outros humanos e serafins com o intuito de realizar seu sonho.

Perdão, a sinopse do site é mesmo bem vaga, mas quando tentei me basear na do jogo já notei algumas discrepâncias. De qualquer forma é uma aventura de fantasia com uma premissa padrão, e só quero ressaltar que os tais serafins (ou "tenzoku" em japonês) são semelhantes aos humanos, como podem ver no caso dos personagens Mikleo - melhor amigo de Sorey -, Lailah e Edna, que são alguns dos integrantes do grupo principal. Apoiado por uma supostamente ótima produção por parte do já mencionado estúdio ufotable, "Tales of Zestiria X" trará Haruo Sotozaki na direção, Go Shiina ("Dimension W", "God Eater") e Motoi Sakuraba (compositor do jogo) na trilha sonora e Akira Matsushima ("Maria-sama ga Miteru", "Tales of Symphonia the Animation") no "character design".



**********

Tsukiuta. The Animation
Formato: TV 
Data de estreia: 06/07
Estúdio: Studio Pierrot
Diretor: Itsuro Kawasaki ("Lady Jewelpet", "Shining Hearts")
Gênero: Slice-of-Life
Tema: Música
De onde saiu: Drama CD.
Site oficial: Clique aqui
Trailer: Clique aqui e aqui

Qual o seu mês favorito?

Baseado em uma série de Drama CDs e álbuns de músicas, "Tsukiuta. The Animation" trará como protagonistas 12 rapazes idols que são antropomorfizações de todos os meses do ano, sendo metade deles membros de um grupo chamado Six Gravity e, a outra metade, de outro grupo conhecido pelo nome Procellarum. Apesar da rivalidade, esses doze idols precisarão compartilhar o mesmo dormitório, e cada episódio do anime terá um protagonista diferente.

Pois é, meses do ano transformados em bishounen! Iniciada em 2013, essa franquia já resultou em 6 Drama CDs42 CDs de música e até um joguinho para dispositivos móveis - isso no lado dos rapazes, porque há também uma menos badalada versão feminina com 12 garotas cujos grupos chamados Fluna e Seleas tiveram por ora 14 CDs lançados, valendo ressaltar que por trás desses quatro grupos fictícios se encontram mais de dez "produtores" musicais que em sua maioria usam o programa Vocaloid nas composições. Ignorando as meninas já que o anime não é delas (mas que garota sem graça para abril, o mês de meu aniversário!), o grupo Six Gravity é composto pelos representantes de dezembro a maio, precisamente o alegre Shiwasu Kakeru (dezembro, dublado sem surpresa alguma por Yuki Kaji), o carismático Mutsuki Hajime (janeiro), o amigável Kisaragi Koi (fevereiro), o calmo e confiável Yayoi Haru (março), o descontraído e sossegado Uzuki Arata (abril, dublado por Hosoya Yoshimasa) e o diligente Satsuki Aoi (maio, dublado por KENN). Já o grupo Procellarum tem em sua formação os integrantes dos meses de junho a novembro, neste caso o ingênuo Minazuki Rui (junho), o fraternal Fuzuki Kai (julho), o romântico Hazuki You (agosto, dublado por Kakihara Tetsuya), o precavido e maduro Nagatsuki Yoru (setembro), o atlético Kannazuki Iku (outubro) e o imprevisível e brincalhão Shimotsuki Shun (novembro). Ufa! Só citei 3 dos mais populares, contudo todos os dubladores das mídias musicais e Drama CDs reprisarão seus respectivos papéis na animação.

E aí, arrisca apostar quais idols conseguirão arrancar mais dinheiro suspiros da ala feminina, se os desse anime ou os dez bonitões de "B-Project"? Como eu possivelmente nem verei os dois porque já estourei nos últimos 3 anos a minha cota de animações com idols masculinos, só encerrarei dizendo que "Tsukiuta. The Animation" trará Itsurou Kawasaki na direção junto a Sayaka Harada ("High Shool Star Musical") na supervisão de roteiros e Yukiko Ban ("DRAMAtical Murder", "Psychic Detective Yakumo") no "character design".

**********


TOTAL:
34 estreias

11 continuações / spin-offs
08 novas adaptações de mangás
07 novas animações originais
04 novas adaptações de jogos (Dispositivos móveis: 1; Diversas plataformas: 3)
02 novas adaptações de novel
01 nova adaptação de light novel
01 nova adaptação de Drama CD



Alguns dados aleatórios e inúteis sobre a montagem desse guia:
Número de mangás e light novels que eu li pelo menos um capítulo: 10
Número de volumes completos lidos: 18
Número de capítulos lidos: 112
Número de imagens reunidas no post de mangás e light novels que eu li: 266
Dias passados desde o início da montagem do guia até a sua postagem: 23

Quantos jogos ganhei no Steamgifts nesse período: 20, indo desde joguinho de plataforma onde você controla um simpático dinossauro verde que usa botas-foguete, a outro que mescla futebol e corrida em times formados por carrinhos! 

Quantos jogos comprei nessas três semanas: 104, quase todos jogos indies de bundles que nunca abrirei a não ser para pegar as cartinhas (viciado!) 

E quanto tempo gastei jogando de fato alguma coisa no Steam: Nem 5 minutos! Não tenho tido muito tempo pra isso, ainda mais na época de montar esse guia...



**********

Animações mais - e também menos, por que não - esperadas pela comunidade do MyAnimeList (de acordo com o total de usuários que já adicionaram cada anime às suas listas) (números do dia 15/06):


 Shokugeki no Souma: Ni no Sara - 43,397
 Nanatsu no Taizai: Seisen no Shirushi - 32,679
 Berserk (2016) - 26,732
 D. Gray-man Hallow - 25,451
 ReLIFE - 24,414**
 Orange - 24,006
 Danganronpa 3: The End of Kibougamine Gakuen - Mirai-hen - 23,563
 Mob Psycho 100 - 18,808
 Rewrite - 18,061**
10º Masou Gakuen HxH - 16,166
...
...

...

45º Onara Gorou - 596
46º Time Travel Shoujo: Mari Waka to 8-nin no Kagakusha-tachi - 588**
47º Mahou Shoujo? Naria☆Girls - 455
48º Gra-P & Rodeo 2nd Season - 42
49º Neko Konogoro - 27**

** Ainda não adicionados.



**********

**********

Meus perfis:
SEGUIR ANIME

Acompanhe as outras novidades e conheça a galera que faz parte deste assunto.

COMENTÁRIOS



Carregando Comentários...